Alimentação sustentável: como se manter saudável e ajudar o mundo?

Você já imaginou que o que você come também pode impactar o meio ambiente? De acordo com um estudo feito pela Embrapa em 2005, o brasileiro produz em média 240 mil toneladas de lixo por dia, sendo que desse montante apenas 10% é destinado a uma usina de reciclagem.

O mais estarrecedor é que, de toda essa quantidade, 60% é composto de matéria orgânica — o que representa R$ 12 bilhões em alimentos jogados no lixo em um ano. Esse número seria capaz de alimentar quase 8 milhões de famílias ou ainda 30 milhões de pessoas carentes por ano.

Esses números são impressionantes e estão totalmente ligados ao nosso estilo de vida e às nossas escolhas. Por isso, neste conteúdo vamos falar sobre a alimentação sustentável e como a sua postura diante do que você coloca diariamente no seu prato e no da sua família pode ajudar a modificar um pouco essa realidade. Confira!

O que é alimentação sustentável?

Se você nunca ouviu falar no termo “alimentação sustentável” não precisa se assustar. Como o próprio nome sugere, essa é uma maneira de encarar a alimentação diária pensando em formas de causar menos impactos o meio ambiente, reduzindo a geração de lixo e também se preocupando com as fontes de aquisição desses alimentos.

Assim, uma pessoa que busca ter uma alimentação sustentável é aquela que, ao cozinhar, reduz ao máximo o desperdício; que, ao fazer compras, busca saber a origem e a procedência do alimento que está sendo comprado, evitando aqueles produtores que sabidamente exploram o meio ambiente; e que está sempre em busca de opções mais amigas do meio ambiente na hora de preparar seus pratos.

Uma pessoa que tem uma alimentação assim se preocupa com o todo e com o caminho que o alimento faz para chegar à sua mesa — o plantio, a colheita, a entrega, a venda e o preparo.

Pode parecer exagero, mas quanto mais pessoas se preocuparem com todas essas etapas, menores serão as chances de existirem produtores que não respeitam as normas ambientais e de locais que vendem produtos como se fossem orgânicos mas não são. Além disso, menor será o nosso desperdício de alimentos.

Todos nós impactamos no planeta, e quanto mais formos conscientes disso e buscarmos formas de reduzir esse impacto, mais podemos contribuir para que a fauna, a flora e os recursos naturais perdurem e se mantenham disponíveis para as próximas gerações.

Como praticar esse estilo de vida?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre a alimentação sustentável, que tal começar a praticá-la no seu dia a dia? Saiba que existem algumas medidas que você pode começar a adotar hoje mesmo na sua casa. Confira!

Priorize os alimentos orgânicos

Saber a procedência do que se está consumindo é um passo extremamente importante no sentido de evitar comprar itens de produtores que estejam em desacordo com as normas ambientais, poluindo o solo e a água com as suas plantações.

Por isso, o consumo de alimentos orgânicos vai muito além do que apenas pensar na própria saúde. Um produtor como esse não usará agrotóxico em suas plantações, reduzindo o impacto delas e impedindo a poluição do solo, do ar e da água.

Para isso, é muito importante comprar de produtores realmente certificados, o que atesta que aquele alimento foi realmente produzido de maneira orgânica, sem o uso de agrotóxicos.

Reduza os resíduos e o lixo

O desperdício de alimentos é uma realidade no Brasil e em todo o mundo. Quanto mais lixo nós geramos, mais acabamos impactando o meio ambiente, afinal todo esse montante acabará, de alguma forma, em aterros sanitários — uma vez que, infelizmente, poucas são as cidades brasileiras que possuem um sistema de coleta seletiva.

Pensar em formas de reduzir o desperdício e de gerar menos lixo também é uma maneira de ter uma alimentação sustentável. Assim, tente comprar apenas a quantidade que você e sua família vão comer, pense em receitas que sejam capazes de aproveitar as sobras e, se possível, use o resíduo orgânico para fazer uma compostagem em casa.

Na hora de comprar itens industrializados, seja criterioso. Analise a embalagem e procure por aqueles materiais que possam ser reciclados ou que causem menos danos ao meio ambiente, como o vidro no lugar do plástico.

Antes de comprar, analise se você realmente necessita daquele item. Um consumo consciente é uma atitude fundamental na hora de ter uma alimentação sustentável.

Evite alimentos de origem animal

Infelizmente, nem todo mundo se dá conta do quanto os animais para abate são cruelmente tratados. Na maioria das vezes, eles acabam confinados em locais mínimos, sem condições de viver, apenas sendo engordados e medicados com hormônios para poderem ser abatidos o quanto antes.

Consumir alimentos de origem animal é continuar alimentando esse mercado de crueldade e sofrimento. Por isso, começar a reduzir a quantidade desses alimentos na sua dieta já é uma maneira de diminuir o impacto e de protestar contra essa situação.

Se for muito difícil para você, tente reduzir aos poucos, escolhendo um dia da semana para não comer nenhum alimento de origem animal. Nos demais dias, opte por produtores que não criem seus animais dessa forma, como os orgânicos.

Esse tipo de selo indica que a produção vem de unidades autossuficientes, que respeitam o bem-estar animal, mantêm um nível higiênico adequado em todo o processo de criação, adotam práticas sanitárias que evitam o uso de produtos proibidos, contemplam uma alimentação nutritiva e sadia para os animais, entre outras medidas.

Priorize alimentos de extração controlada

O extrativismo é uma forma de produção de alimentos amplamente utilizada no Brasil, e muitos dos itens que compõem a sua rotina alimentar podem ter essa fonte. Um exemplo de como essa prática pode impactar o meio ambiente é o palmito juçara.

Consumido largamente em todo o país, sua extração era, há alguns anos, prioritariamente feita na mata atlântica. O problema é que o palmito juçara tem um ciclo de vida bem longo e acabava não conseguindo se recuperar das extrações constantes.

Com isso, ele acabou entrando para a lista de espécies em risco de extinção. Hoje, a melhor alternativa é o palmito pupunha. Esse é só um exemplo, mas existem muitos outros alimentos que podem também contribuir para essa situação, como o açaí, o pinhão, a castanha-do-pará e assim por diante.

Por isso, a dica é, antes de comprar, pesquisar a origem daquele alimento, identificando se ele é realmente certificado e se não está agredindo a natureza.

Compre de produtores locais

Nem sempre é fácil termos informações sobre os produtores dos alimentos que compramos, não é mesmo? Justamente por isso a dica principal é sempre priorizar a compra dos produtores locais.

Assim você poderá visitá-los, conversar com o proprietário, entender a forma como é feito o plantio e a colheita e ainda valorizar a sua comunidade local, fortalecendo as iniciativas sustentáveis e deixando de investir e de financiar produtores que não se importam com o meio ambiente.

Mesmo quem mora em cidades maiores é capaz de encontrar um local que venda hortaliças e frutas orgânicas de produtores próximos e que sejam certificados. Uma alternativa é tentar criar a sua própria horta caseira, plantando alguns dos itens que você consome diariamente.

Essas são apenas algumas dicas, mas existem muitos outros hábitos que você poderá adicionar no seu dia a dia (e que vão além da sua alimentação), buscando ter uma vida saudável e sustentável. Lembre-se que todas as atitudes, por menores que pareçam, sempre contam.

Como exemplos dessas atitudes podemos citar: reduzir o consumo de energia elétrica ou de gás de cozinha no preparo dos alimentos, vistoriar o estado das panelas, chamar os amigos para comer em casa quando for obrigatoriamente fazer um prato que necessite de mais alimentos, e, é claro, sempre reciclar e reaproveitar todos os itens na sua cozinha.

Como reduzir os resíduos na minha alimentação?

Como você viu no tópico anterior, existem muitas medidas que você pode tomar para começar a modificar seus hábitos e ter uma alimentação mais sustentável. Entre elas está o combate ao desperdício de alimentos.

Esse é um problema grave no Brasil, como você pode ter notado a partir dos dados que trouxemos na introdução deste post. Infelizmente muitas pessoas acabam não se importando com o desperdício por terem alimentos abundantes.

Além do desperdício, que acaba gerando mais lixo, outro problema está relacionado aos resíduos que podem estar associados à alimentação, como as embalagens dos itens industrializados — que contribuem para a geração de lixo, sendo que muitas delas são difíceis de reciclar e podem acabar uma centena de anos no meio ambiente sem serem decompostas.

Se você quer começar a ter uma alimentação mais sustentável, buscar maneiras de reduzir esse problema é algo crucial. Veja algumas dicas que podem lhe ajudar.

Reduza o consumo de industrializados

Essa é uma atitude que não apenas fará bem à sua saúde, mas ao meio ambiente. Quanto menos produtos industrializados você comprar, menor será a geração de lixo a partir das embalagens e, é claro, menor será o impacto no meio ambiente.

Dessa forma, tente optar por alimentos naturais e orgânicos, dos quais você conhece a procedência. Se não for possível fugir dos industrializados, tente ao menos fazer um consumo consciente.

Para isso, procure saber informações sobre a marca — se ela é responsável ambientalmente — e também opte por aquelas embalagens que sejam recicláveis, produzidas a partir de materiais reciclados ou que agridam menos o meio ambiente.

Tome cuidado na hora de ir ao mercado

O desperdício de alimentos começa já no momento da compra. Para evitar isso, é fundamental ir ao mercado sempre com a lista dos itens que você precisa, e se possível, fazer compras semanais.

Dessa forma você reduz as chances das compras por impulso, que geralmente são de produtos que não precisamos — e em quantidades muito maior do que podemos consumir.

Crie receitas com as sobras

Reaproveitar as sobras não é algo complicado, mas muitas pessoas ainda nutrem certo preconceito em relação a essa prática. Na verdade, com um pouco de criatividade e conhecimento é possível criar receitas deliciosas reaproveitando praticamente tudo dos alimentos.

Algumas ideias simples são:

  • preparar raspadinhas com as cascas das frutas cítricas raladas e batidas com água;
  • fazer um chá com a casca do abacaxi;
  • preparar um bolo com cascas de frutas;
  • fazer uma compressa para os olhos com as cascas das batatas;
  • aproveitar as cascas da melancia para fazer um doce;
  • usar as cascas da maçã para fazer chá;
  • fazer uma salada com os talos da acelga, do alface, da cenoura e assim por diante.

Na internet é possível encontrar inúmeras receitas nutritivas e saborosas para reaproveitar vários itens da sua cozinha. Além de ajudar o meio ambiente, você sabia que esses itens são fontes de vitaminas e minerais importantes?

As cascas do abacaxi, por exemplo, possuem fibras, vitamina C e bromelina, uma enzima capaz de proteger o estômago e de ajudar na digestão das proteínas. Já as cascas do abacate, da abóbora, da manga e do mamão são importantes fontes de betacaroteno, um antioxidante que ajuda a reduzir os riscos de câncer e de doenças cardiovasculares.

Faça uma compostagem

A compostagem é uma ótima forma de reciclar o lixo orgânico. Ela é uma maneira natural na qual os micro-organismos, como as bactérias e os fungos, degradam a matéria orgânica, transformando-a em adubo que poderá ser usado na sua horta caseira.

A técnica é capaz de reduzir os resíduos, principalmente ajudando na hora de transformar aquelas sobras de alimento em itens com nova utilidade. Para isso, você precisará de uma composteira e de um local específico da sua casa para essa finalidade, que seja arejado e tenha temperatura e umidade adequadas.

Invista no upcycling

O upcycling é uma tendência no mundo da decoração e até no universo da moda. Ele consiste em usar itens que seriam descartados como lixo na criação de novas peças. Essa ideia é uma ótima forma de reaproveitar aquelas embalagens que poderiam ir para o lixo.

Por exemplo: os potinhos de vidro de geleia e de outros alimentos podem ser transformados em vasinhos, lanternas marroquinas ou até usados para organizar os itens de casa; as garrafas pet também podem ter várias utilidades, ajudando até mesmo a compor um belo jardim vertical, e assim por diante.

Além da alimentação: como levar uma vida mais sustentável?

Ter uma vida mais sustentável e amiga do meio ambiente vai muito além do que apenas cuidar da alimentação. Existem várias outras atitudes que você pode começar a ter e que, com certeza, ajudarão o meio ambiente. Veja algumas.

Preste atenção nos produtos de limpeza

O mesmo cuidado que você tem ao escolher os seus alimentos, também deve ter na hora de comprar os seus produtos de limpeza, já que muitos deles podem ser tóxicos ao meio ambiente quando descartados na rede de esgoto.

Para reverter esse quadro, existem algumas opções caseiras que limpam da mesma maneira e não agridem o planeta, como é o caso do limão, do vinagre e do sódio. Se não der para fugir da compra, tente optar por aqueles que são biodegradáveis e evite os que contam com fosfato na composição.

Diminua o uso de sacolas plásticas

Há alguns anos as sacolas plásticas passaram a ser proibidas em alguns supermercados do estado de São Paulo e de outros estados do país, mas devido à polêmica causada, essa norma acabou sendo ignorada — o que é uma pena.

Apesar de toda a polêmica, nem todos os consumidores pararam para pensar o quanto as sacolinhas plásticas tão comuns no nosso dia a dia podem agredir o meio ambiente. Além de poluírem, elas ainda são responsáveis por, anualmente, matarem milhares de animais.

Por isso, tente evitar o uso dessas sacolas, preferindo os sacos de papel ou ainda usando a sua sacola de pano ou retornável para as compras no supermercado.

Economize energia elétrica

Infelizmente a maior parte da energia elétrica no Brasil ainda vem das hidrelétricas, que precisam desmatar uma grande área e que usam uma enorme quantidade de recurso hídrico.

Embora as hidrelétricas não sejam as que mais poluem o ambiente, é fato que elas possuem um grande impacto ambiental. Por isso, economizar energia elétrica também é uma maneira de ter uma atitude mais sustentável.

Além de evitar o desperdício, com luzes acessas e aparelhos ligados sem que ninguém os esteja usando, você também poderá ter uma atitude mais consciente na hora de comprar seus eletrodomésticos, buscando por aqueles que possuem o selo de economia, garantindo que são mais eficientes energeticamente.

Outra medida importante está relacionada ao uso do ar-condicionado. No ambiente de trabalho, desligar o aparelho uma hora antes do final do expediente, por exemplo, já equivale a uma economia de 12,5% no final do ano.

Evite o desperdício de água

A água é vital ao ser humano, mas muitos brasileiros têm o hábito de gastá-la como se ela nunca fosse acabar. Mesmo com as crises hídricas pelas quais vários estados brasileiros passaram nos últimos anos, nem todo mundo adquiriu consciência do quanto esse é um bem importante.

Algumas medidas simples já podem ajudar a economizar, como fechar a torneira quando for escovar os dentes, diminuir o tempo do banho, lavar toda a roupa apenas uma vez por semana, instalar válvulas de controle nas descargas e, é claro, consertar todos os vazamentos em casa.

Pense no transporte

Nosso deslocamento diário também impacta (e muito) o meio ambiente. A frota de carros circulando nas cidades só aumenta, principalmente devido à precariedade do nosso sistema de transporte público, o que torna difícil em alguns centros urbanos o uso dessa alternativa mais sustentável.

Se for muito difícil para você viver sem carro, na hora de comprar um novo, tente optar por aqueles modelos que sejam mais ecológicos, como os carros flex ou que emitam menos poluentes.

Além disso, sempre que possível opte por outros meios de transporte, como a bicicleta ou até mesmo andar a pé.

Fortaleça a preocupação com a sustentabilidade na sua família

Se você tem filhos ou convive com crianças, uma ótima maneira de cuidar do planeta é ensinando aos pequenos o poder da sustentabilidade e como ter hábitos menos impactantes para o meio ambiente desde cedo.

Explique a importância de economizar água e energia, de respeitar os animais e de evitar o desperdício de comida, por exemplo. Sempre que possível leve as crianças para ter contato com a natureza, garantindo que elas crescerão e se tornarão adultos responsáveis ambientalmente, fazendo escolhas mais acertadas.

Como o meio ambiente agradece pela alimentação saudável?

Depois de ler este conteúdo, você pode estar se questionando se esses passos são realmente importantes para a natureza. Pois saiba que essas atitudes podem ser extremamente impactantes!

De acordo com um estudo feito pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), a agricultura está entre as atividades que têm maior impacto ambiental em todo o mundo.

O relatório foi produzido por 27 especialistas e traz informações importantes sobre a forma como a humanidade tem tratado o meio ambiente. Na parte sobre a agricultura, os especialistas consideraram especialmente preocupante a produção de animais, que são alimentados com mais da metade de toda a plantação mundial.

Atualmente, a produção agrícola representa 38% do uso do território do planeta e 70% do consumo de água doce, além de ser responsável por 19% das emissões de gases de efeito estufa.

Modificar a forma como nos alimentamos, dando prioridade a produtores orgânicos e locais e reduzindo a dependência dos alimentos de origem animal é uma ótima maneira de reverter esse quadro.

Além disso, buscar formas de reduzir o desperdício e a geração de lixo também são medidas extremamente importantes, já que impactam diretamente o meio ambiente. Afinal, quanto menos alimento é desperdiçado, menor tem que ser a produção desses itens e, consequentemente, menor é o impacto causado pelo uso de água e de outros recursos.

Como você pode notar, a forma como escolhemos nossos alimentos, desenvolvemos nossas receitas e nos alimentamos pode impactar (e muito) o meio ambiente. Evitar o desperdício e priorizar os produtores orgânicos e locais ajuda a reduzir o impacto severo que a agricultura tem gerado ao meio ambiente.

Além disso, ter uma atitude mais sustentável ao reduzir o desperdício também é algo mais socialmente correto, considerando que inúmeras famílias poderiam ser alimentadas com toda a quantidade de alimentos que acabamos jogando fora diariamente.

O melhor de tudo é que, além de ajudar o meio ambiente, você também vai melhorar a sua saúde, priorizando alimentos mais saudáveis.

Mesmo as pequenas atitudes já podem ajudar a reduzir o impacto no meio ambiente, nos tornando pessoas mais conscientes e cidadãos mais atuantes em prol de um mundo melhor, em que os recursos, a fauna e a flora possam estar presentes também para as próximas gerações.

Depois de ler este conteúdo você já pensa em modificar seus hábitos e ter uma alimentação sustentável? Se você gostou deste post, assine a nossa newsletter e fique por dentro de tudo o que acontece no nosso blog!

Últimas Notícias

Alimentação