Eu me amo: como melhorar a minha autoestima?

Melhorar a autoestima é uma demanda verdadeira para muitas pessoas, mesmo que algumas delas ainda não tenham identificado essa necessidade. Ter a confiança em alta e acreditar em suas próprias capacidades é um grande diferencial para viver bem. Os benefícios são vistos em diversos momentos: na vida amorosa, nas relações interpessoais e no cotidiano profissional.

Problemas com a autoestima geralmente têm relação com hábitos ruins, um estilo de vida pouco saudável e profunda desconexão com o corpo. Recuperar a confiança depende da vontade de querer mudar essa situação.

O post a seguir vai mostrar as principais maneiras de melhorar a autoestima, mostrando que é possível mudar de vida. Continue a leitura e saiba mais!

Por que trabalhar para melhorar a autoestima?

A autoestima é uma questão ligada à confiança que você tem em si próprio. Ela está conectada com basicamente todas áreas da sua vida, sejam elas de cunho pessoal ou profissional — a maneira como você se sente em relação à sua aparência, a sua certeza sobre ser competente no trabalho, a certeza de estar se relacionando com as pessoas certas e muitos outros pontos.

Quando a autoestima está em baixa, fica cada vez mais difícil ver qualidades e outros fatores positivos em tudo que está em sua volta. Essa visão com pouco otimismo passa a ter cada vez mais um efeito negativo na vida da pessoa, fazendo com que ela perca força e passe a ver tudo pela pior ótica possível.

Os problemas de autoestima fazem com que, de repente, a pessoa passe a se sentir menos capacitada no trabalho e menos interessante para os amigos ou outras pessoas, deixando de ver beleza na sua aparência e, gradativamente, perdendo toda a confiança que tinha.

Trabalhar para melhorar a autoestima pode trazer de volta uma série de benefícios, recuperando capacidades comuns e pensamentos mais positivos que foram perdidos sem que a pessoa percebesse.

Quer ver por que é tão importante levar em consideração essa questão?

Ter sucesso na vida profissional

Problemas de autoestima podem fazer uma pessoa simplesmente passar a se sentir incapacitada de realizar suas funções e exercer seu cargo no dia a dia de trabalho. A falta de confiança diminui as capacidades, exercendo um bloqueio mental.

Em contrapartida, quem tem uma autoestima sólida consegue sempre se manter positivo quanto às suas capacidades e, mesmo que ainda não tenha atingido 100% delas, se manterá confiante de que pode melhorar e entregar o melhor de si na sua atuação profissional.

Livrar-se de más amizades

Tão comum na adolescência, a necessidade de autoafirmação pode reaparecer na vida adulta, sendo muito comum para as pessoas que se sentem inseguras em relação ao que representam para outras.

Os problemas de autoestima acabam fazendo com que pessoas interessantes se sujeitem a amizades tóxicas, sob o medo de que mais ninguém teria interesse em ser seu amigo. Com a autoestima em alta essa percepção estará mais apurada, e esse tipo de relação ruim é evitada.

Para se sentir feliz

A insatisfação pode vir de todos os lados para quem tem problemas com a autoestima. A busca para satisfazer essas lacunas acaba sendo árdua e repleta de decepções, configurando um estilo de vida destrutivo — o que pode ocasionar em situações de muita tristeza e insatisfação.

Recuperar e melhorar a autoestima e se sentir pronta para encarar os desafios, com confiança e positividade: trabalhar nessa questão é fundamental para recuperar a alegria e saber que o melhor está sendo feito para si próprio.

Falta de amor próprio pode ser superada?

O amor próprio é uma relevante questão e está totalmente ligado à autoestima. Amar a si mesmo é saber se aceitar da forma como você é, mesmo que isso esteja fora dos padrões impostos pela sociedade. Afinal, em qual momento você foi ensinado a amar a si próprio mais do que ama as outras pessoas ou as ideias impostas sobre felicidade, bem-estar e aparência?

A falta de amor próprio cria uma barreira que impede as pessoas de conseguirem ter clareza no reconhecimento de suas qualidades e de ter a certeza e o discernimento de que merecem o melhor, acreditando que tudo que não é saudável deve estar longe de si.

Há pessoas que sabem amar as outras, mas não sabem amar a si mesmas. O resultado disso é um completo lapso de cuidados, que vão desde questões estéticas até emocionais. Viver a vida do outro e esquecer da sua, por exemplo, é uma das mais recorrentes ocasiões de falta de amor próprio, que frequentemente se manifesta quando se está em um relacionamento.

Nesses casos, não necessariamente o problema é do companheiro, mas sim de quem abre mão de se amar e ser feliz em prol de outra pessoa. Não amar a si mesmo pode trazer uma série de outras consequências e se manifestar de várias formas bem além desse exemplo.

Mas será que é possível se livrar desse problema e recuperar a preocupação por si mesmo? Há meios de superar esse problema e melhorar a autoestima!

Aceite-se

Pessoas possuem diferentes características e isso é de origem de cada um. Se isso não te machuca, aprenda a aceitar, entendendo que é parte de você. Por vezes isso pode deixar pessoas insatisfeitas, mas lembre-se: estamos falando do seu amor próprio.

Abandone hábitos corrosivos

Cada um de nós sabe o que nos faz mal, então é possível dizer que em parte é nossa culpa que eles aconteçam. Se depender de você, abandone esses hábitos.

Valorize suas conquistas

Você precisa saber o quanto é incrível! Valorize cada quilo perdido na sua dieta, cada visual que você vestiu e se sentiu bem, cada elogio ao seu trabalho e todas as pequenas e grandes conquistas que você obtém.

Reclame menos

Reclamar está muito ligado à nossa natureza. É a primeira atitude que temos quando algo não está ruim, porém não deveria ser assim. A melhora só depende de você, e assim será possível atingir seus objetivos. Se você não consegue sozinho, peça ajuda!

Pare de se comparar

Desde criança somos comparados aos primos, ao filho do vizinho, aos nossos amigos. Isso acaba criando uma falta de confiança em nós mesmos e problemas de identidade. Você jamais deve se comparar. Cada pessoa é única, com suas limitações e suas qualidades, então não se baseie em ninguém para medir nada em sua vida.

Como exercícios físicos ajudam na melhora da autoimagem?

Como você imagina a sua aparência? A autoimagem é a ideia que se tem em relação à própria estética e, naturalmente, essa questão está muito ligada a autoestima e como as pessoas se veem. Entretanto, é importante abordar mais profundamente a questão da estética, diante da importância que esse ponto tem para a confiança.

Geralmente, quem tem problemas com a autoestima tem uma autoimagem ruim, e essa insatisfação pode se manifestar de diversas maneiras. Uma delas está diretamente relacionada com a aparência física — ligada ao peso, por exemplo.

Padrões de beleza atrapalham

É inegável que a sociedade precisa conviver com padrões de beleza que são pouco realistas, mas que causam grandes problemas de autoestima em muitas pessoas. Ter a certeza de que não se está próximo desse padrão pode distorcer a autoimagem, fazendo com que a ideia sobre si seja muito pessimista.

Uma forma de conseguir recuperar a confiança e melhorar a percepção em relação à própria aparência é na busca pelos exercícios físicos. A ideia de estar se esforçando para ter uma melhor aparência traz mais confiança em relação ao corpo, melhorando a ideia de autoimagem.

Evolução é valorizada

Praticar atividades ajuda a mente a desenvolver a ideia de que está havendo esforço para chegar a uma aparência que traga satisfação, fazendo com que haja a valorização de cada evolução, abandonando aos poucos a falsa ideia de corpo perfeito, que poucas vezes está ligada a outro fator fundamental: a saúde.

Com a iminente possibilidade de perder peso após a adoção de exercícios físicos, é comum que a autoimagem seja vista de uma forma diferente, promovendo maior satisfação. Dessa forma, é fundamental adotar atividades para o cotidiano que trazem inúmeros benefícios.

Qual a relação entre autoestima e alimentação saudável?

A alimentação é parte imprescindível na vida de qualquer pessoa. Sendo assim, tem relação direta e fundamental com o fator da autoestima. Quantas vezes um momento de tristeza e ansiedade não te levaram a descontar essas frustrações nas refeições? Essa é uma consequência muito comum e delicada.

A comida também tem um grande papel no que diz respeito à manutenção da forma física, fator muito importante quando se trata de melhorar a autoestima. Para algumas pessoas, o sobrepeso pode ser um dos gatilhos para agir contra a confiança, reduzindo a autoestima e aumentando a insatisfação com a própria aparência.

É importante destacar que uma alimentação equilibrada traz benefícios imensos a qualquer pessoa, entretanto essa não é só uma questão de satisfação ao olhar no espelho. A saúde é um fator muito importante e que, quando não está em dia, causa muita apreensão e ansiedade, fatores diretamente relacionados a problemas de autoestima.

Buscar estar em dia com seu bem-estar e confiança é ter a certeza de que sua alimentação segue em um caminho de muita consciência e equilíbrio. Busque sempre ver a comida como algo necessário, um combustível, e nem tanto como um prazer. O grande perigo dessa questão é procurar comer toda vez que algum problema motivacional estiver te atingindo.

Esse tipo de atitude criará um ciclo interminável, em que a comida será um fator chave para a diminuição da autoestima, já que estará preenchendo lacunas relacionadas a questões emocionais. Dessa forma, os hábitos alimentares terão sempre consequências ruins ligadas à saúde.

Como superar a autossabotagem?

A autossabotagem talvez seja a pior inimiga do amor próprio. Insistir em erros, agir de modo que só traga consequências negativas e viver uma vida desregrada são fatores primordiais para estar em um modo autodestrutivo, em um estilo de vida que arruína tudo que já foi conquistado ou que impede o próximo passo.

Sabotar seu próprio futuro e seu desenvolvimento em direção da felicidade e do bem-estar parece uma decisão pouco inteligente e até mesmo absurda não é mesmo? Entretanto, essa situação está muito ligada a problemas de autoestima. Quando não há confiança e amor próprio, o terreno para a autossabotagem se torna fértil.

Mas como superar esse tipo de comportamento? Somente quem está vivendo a situação pode lutar para mudar o quadro. Livrar-se de alguns costumes e hábitos, além de mudar o pensamento diante de alguns momentos é fundamental. A pessoa que está em situação de autossabotagem é a responsável por esses problemas, e é ela mesma que precisa lutar contra eles.

Afaste a procrastinação

Sabe aquele momento entre saber o que deve ser feito e realmente começar a fazer? Isso é extremamente prejudicial à produtividade e afeta mais a autoestima do que você pode imaginar. Esse é um hábito que atrapalha a saúde e a vida profissional, impedindo avanços e resultados, causando desânimo e sensação de incapacidade.

Abandone os hábitos ruins

Alguns hábitos recorrentes são prejudiciais e pouco saudáveis. Uma alimentação desregrada, consumo de bebidas alcoólicas, a insistência em um relacionamento abusivo, o pessimismo em um momento feliz, com medo de que algo dê errado, além de outras coisas — todas essas atitudes se repetem e há pouco interesse da pessoa em se livrar dessas situações.

Evite o conformismo

Conformar-se com pouco é um grande problema. Um cargo abaixo das suas capacidades, um relacionamento interpessoal com pessoas tóxicas e qualquer outra coisa que seja pouca. A modéstia em excesso faz a pessoa desacreditar de seu merecimento, se conformando com qualquer coisa e sabotando a si mesma.

Quais hábitos deixam a autoestima baixa?

A maneira como você encara algumas situações e as suas reações diante de vários momentos do seu dia a dia pode estar ligada ao nível da sua autoestima. Alguns hábitos podem se mostrar bastante prejudiciais, mas é comum que você nem mesmo perceba isso.

É importante saber o que fazer para aumentar seu amor próprio, melhorar a autoestima e viver bem consigo mesmo. Mas tão relevante quanto isso é saber quais hábitos são prejudiciais e atuam negativamente para a sua autoestima. Que tal conhecermos 5 deles?

1. Pensar somente no futuro e remoer o passado

Todo tempo estamos trabalhando e realizando atividades pensando no futuro, isso é algo normal em nossas vidas. Da mesma forma é comum que se pense no passado, relembre erros e tenha momentos de saudosismo de boas épocas.

É importante saber fazer esse levantamento do que passou, a fim de corrigir erros e manter bons hábitos e atitudes, da mesma forma que é fundamental trabalhar para que o futuro seja melhor. Mas e quando isso é excessivo?

Perceber que seu presente não é como seu passado ou ainda está longe do que você projeta para o futuro pode ser desmotivador, causando muita ansiedade, desânimo e sendo muito prejudicial para a autoestima. Portanto, viva o agora!

2. Competir com todos

A competição é um dos principais problemas da sociedade moderna. Ainda que você não perceba, está o tempo inteiro competindo, se comparando aos outros, tentando ter o que as pessoas têm e querendo viver uma vida “modelo”.

Faça um exercício simples: pense quantas vezes você já se questionou como um companheiro de trabalho viaja tanto, ou como ele janta todo final de semana nos melhores restaurantes? O grande problema está em pensamentos do tipo “como ele consegue e eu não?”

Pessoas constantemente estão tentando mostrar coisas que elas não vivem de verdade e causando esse tipo de pensamento, involuntariamente. Cabe a você viver a sua vida da melhor forma, dentro de suas limitações, fazendo o seu melhor e jamais tentando competir.

3. Manter um pensamento pessimista e negativo

A negatividade é um problema real e impede que você esteja motivado a receber coisas boas na sua vida, provenientes de sua dedicação e tudo que precisa para ser feliz. Pensamentos ruins têm muita força sobre sua motivação e confiança.

Momentos difíceis são comuns para qualquer pessoa, mas cabe a cada um se manter confiante e otimista para a chegada do momento da melhora. Qualquer pensamento oposto a isso só dificulta as coisas.

O negativismo e o pessimismo são altamente prejudiciais para melhorar a autoestima. Cultivar esses comportamentos impede que você prospere, simplesmente por cultivar uma ideia de que tudo é muito difícil, dará errado e que você não é capaz.

IV. Ter um estilo de vida desregrado

Cuidar do corpo e da mente é fundamental. As saúdes físicas e psicológicas têm influência na sua autoimagem e, se ela não estiver te satisfazendo, a tendência é que sua autoestima esteja baixa. É preciso adotar hábitos positivos.

Um estilo de vida desleixado, em que o foco seja, por exemplo, somente o trabalho e mais nada, pode limitar os momentos de felicidade, causando tristeza e colaborando para o desenvolvimento de doenças, como a depressão.

Outro importante fator é a alimentação. Como falamos, a relação com a comida é algo importante e deve ser visto com responsabilidade, para que comer não seja uma forma de preencher lacunas.

Além disso, é fundamental se alimentar bem, já que isso está ligado à saúde estética, que tem grande influência para melhorar a autoestima. Esqueça a magreza e os padrões de beleza! A beleza saudável é o que importa. Esteja bem consigo mesmo, mas sem exageros. O corpo perfeito é aquele que você consegue com seu esforço.

5. Colocar outras pessoas na frente de si próprio

A base de um relacionamento tóxico, seja ele um namoro, um casamento ou uma amizade, é permitir que a outra pessoa esteja acima de você. Viver em prol de alguém é abrir mão de ter seus próprios gostos e objetivos.

Essa situação simplesmente levará toda sua autoestima, fazendo com que você se sinta incapaz de realizar seus próprios desejos. Busque saúde nos relacionamentos interpessoais e se coloque sempre como prioridade, respeitando quem está ao seu redor.

Por que a autocrítica é sua maior inimiga?

Ter senso crítico é fundamental para que sempre sejamos capazes de julgar como estamos conduzindo nossas vidas. Mas será que você está fazendo isso da maneira correta? A autocrítica, quando em excesso, pode ser um empecilho para que você se desenvolva, chegando ao quadro de baixa autoestima.

Nessa situação de pouca confiança, a pessoa passa a ser muito rigorosa ao fazer uma avaliação de si própria. A recorrência desse comportamento faz com que o pensamento de que “nunca está bom” seja permanente, atrapalhando todas as áreas da vida.

Com a autocrítica em excesso fica cada vez mais difícil fazer análises coerentes sobre seu desempenho profissional, por exemplo. A falta do senso de realidade leva a pessoa a se cobrar muito, quando na verdade ela está se esforçando ao máximo e, na maioria das vezes, conseguindo bons resultados.

A autocrítica desregulada se torna então uma inimiga da satisfação. Se nada está bom, a autoestima passa a ser afetada, com a diminuição na confiança em suas próprias capacidades. É importante saber pedir ajuda médica nesses momentos, já que esse comportamento pode causar problemas mais graves, como a depressão.

Quais hábitos podem mudar sua vida para melhor?

A hora de mudar é já! Adotar novos hábitos é um importante passo para se ver livre de um estilo de vida corrosivo e que prejudica sua autoestima, fazendo com que você se encontre desmotivado. Veja 5 novos hábitos!

1. Adote um hobby

O que você gosta de fazer? Ler, ver filmes, sair com pessoas queridas ou se dedicar a alguma prática. Um hobby é algo que se faz com regularidade e que se tenha amor. Adote um e veja como esse momento de lazer trará mais motivação e felicidade ao seu dia a dia — assim, será possível sorrir mais!

2. Cuide de si mesmo

Cuidar de si próprio é talvez o fator mais importante para a autoestima. Visite um médico quando sentir que algo está errado, faça o que gostar aos finais de semana, busque novas formações acadêmicas e esteja sempre proativo no que diz respeito a você mesmo.

3. Mantenha-se positivo

Você certamente vai se deparar com situações complicadas em sua vida, ou somente desafios impostos pelo cotidiano. Mantenha-se sempre positivo em relação ao sucesso. Acreditar nas suas capacidades e ter a consciência de que você é capaz é o primeiro passo em direção ao êxito — além do mais, a manutenção da sua saúde emocional ficará bem mais simples.

4. Alimente-se adequadamente

Comer bem é fundamental para se sentir bem. Alimente-se com equilíbrio, evite excessos e livre-se de hábitos alimentares e comidas que fazem mal. Os benefícios vão além da parte estética!

5. Mantenha seu corpo ativo

Exercitar-se é fundamental para se manter com a autoestima elevada. Além de ser a melhor forma de controlar o peso, as atividades físicas também liberam endorfina, que aumentam os níveis de motivação no dia a dia. Assim você estará sempre animado e com a cabeça funcionando melhor.

Melhorar a autoestima depende muito de como você vai encarar a vida. A positividade é fundamental, assim como o esforço para se livrar de hábitos ruins e adotar outros saudáveis. Cuide sempre de tudo que está ao redor da sua vida e tudo ficará cada vez melhor.

Gostou deste conteúdo? Se você sente que precisa de ajuda, conheça nosso programa Equilíbrio. Ele é voltado a quem apresenta sintomas de depressão, instabilidade emocional e insônia.

Últimas Notícias

beleza