5 estratégias para desenvolver inteligência emocional agora mesmo

Saber encarar momentos difíceis, que exigem equilíbrio, é fundamental para o bem-estar. Isso traz benefícios para a vida emocional e profissional. A evolução nesse aspecto faz com que seja obtida uma meta importante: o alcance da inteligência emocional.

Estar longe desse estado ideal pode dar a constante sensação de perda do controle emocional, de não ser ouvido, de arrependimento e de falta da capacidade de assimilar conflitos pessoais.

Toda sabedoria necessária para enfrentar dificuldades e se manter firme pode ser obtida por meio do cultivo da inteligência emocional. Mas você sabe como chegar lá? Veja a seguir 5 estratégias para desenvolver esse aspecto!

1. Busque autoconhecimento

Atingir a inteligência emocional é um processo que requer, antes de qualquer coisa, o autoconhecimento. Como querer melhorar aspectos de sua personalidade em busca de uma evolução sem saber quais são seus pontos fortes e pontos fracos? Conhecer seus traços mais marcantes é de grande ajuda para buscar equilíbrio.

O processo de autoconhecimento pode ser feito por conta própria ou com a ajuda de elementos externos. Um profissional como o terapeuta vai ajudar a entender características da sua personalidade. Amigos e familiares também têm conhecimento suficiente para poder falar um pouco mais sobre você.

Outro ponto importante é se conhecer em relação às suas competências profissionais. A inteligência emocional é fundamental para se tornar melhor. Questione companheiros de trabalho em que confie sobre quais virtudes eles conseguem observar em você, assim como alguns pontos a melhorar, que podem estar prejudicando sua carreira.

O feedback desses questionamentos pode ser um tanto difícil, mas vai gerar um entendimento mais completo sobre si mesmo, o que será de grande ajuda para compreender quais pontos devem ser trabalhados em busca da inteligência emocional.

2. Desenvolva empatia e humildade

A inteligência emocional também requer sabedoria no relacionamento interpessoal. Ter mais domínio e controle sobre seus sentimentos e reações está ligado à maneira como você lida com as pessoas de seu convívio. A empatia é um ponto muito relevante e que vai ser imprescindível no trato com o próximo, seja em uma relação pessoal ou no convívio profissional, no dia a dia de trabalho.

Pessoas têm particularidades que desenvolvem necessidades muito próprias e distintas. Pode ser que você nem sempre consiga entender isso, o que se configura uma falta. A empatia é justamente saber se colocar no lugar do outro para entender as dificuldades que ele tem. Dentro de um relacionamento, isso ajuda a entender comportamentos confusos e evita brigas e discussões.

Quando a empatia é levada para o ambiente profissional, fica mais fácil de entender limitações e traços característicos da personalidade de cada pessoa. Essas marcas fazem toda diferença na maneira como ela se comporta e atua. Ter a compreensão acerca dessas particularidades vai ajudar a manter o controle e saber como lidar com seus colegas de trabalho.

Humildade é parte importante

Além da empatia, é importante ser humilde na hora de tratar as limitações e condições de cada um. Suas características pessoais não fazem de você melhor ou superior a outras pessoas, apenas distinguem, diferenciam, e tornam você quem de fato é. Esse entendimento, de que cada um é único, colabora para evitar comportamentos arrogantes ou soberbos, que configuram a perda do equilíbrio emocional, e podem trazer consequências negativas para si e certamente para quem está próximo.

3. Reconheça seus limites

Parte fundamental do processo de desenvolvimento da maturidade emocional é saber exatamente quais são os nossos limites. Dessa forma, cada vez menos haverá situações de perda de controle, justamente por entender melhor quais são os fatores que podem levar a esse momento extremo.

A partir do momento de identificação desses limites, você passará a se preservar mais, evitando, por exemplo, relacionamentos interpessoais abusivos. Muitas vezes isso acontece pois as pessoas não sabem impor seus limites à outra, perdendo o controle e permitindo situações psicologicamente estressantes.

Entender e definir seus próprios limites é, antes de tudo, uma questão de respeito por si próprio. A partir do momento que você é capaz de entender isso, automaticamente saberá delimitar sua relação com outras pessoas. Você dará um passo importante para estabelecer sua inteligência emocional, mantendo o controle de suas reações nas relações interpessoais.

4. Respeite o histórico das pessoas

Lidar com pessoas requer preparo. Paciência, compaixão, empatia e compreensão são alguns fatores indispensáveis para ter bons relacionamentos. Isso vai ser muito importante em todas as áreas da sua vida: no trato com seus familiares, na maneira como você conduz relacionamentos e na forma como lida e trata seus companheiros de trabalho.

O que falta algumas vezes é respeitar as particularidades de uma pessoa, que podem estar ligadas ao histórico da vida dela. Já parou para pensar que determinados comportamentos que elas possuem podem estar ligados a traumas?

Quando há a busca por saber desse histórico, há mais conhecimento para saber se relacionar e exigir somente o que essa pessoa pode oferecer, sem que ela esteja perdendo algo com isso.

Em momentos extremos, pode ser que você não saiba como conduzir as coisas, descontando essa pressão nas pessoas. Entretanto, esse tipo de comportamento pode gerar problemas graves a elas, configurando uma atitude em que você não respeitou os limites do outro. Isso configura um grande descontrole emocional e mostra como é importante trabalhar no respeito pelas pessoas, sua história e tudo que as envolve.

5. Assuma seus próprios erros

Um comportamento muito recorrente em pessoas que não atingiram a maturidade emocional é a dificuldade de identificar sua própria culpa nos erros que comete. A questão é que muitas vezes esses erros são justamente causados pela baixa capacidade de controle emocional, e isso faz com que a todo novo acontecimento, um culpado seja procurado.

É um exercício difícil, de superação, mas fundamental: buscar sempre assumir seus próprios erros. O comodismo de tentar achar desculpas, outros culpados e fatores externos acaba sendo uma prática recorrente que afasta a responsabilidade de entender que somente você foi o culpado por algo que não deu certo.

Ter essa percepção e buscar o esforço para entender o problema é de grande importância para conseguir estar cada vez mais preparado emocionalmente, ou seja, menos suscetível a erros causados pelas perdas de controle.

A inteligência emocional é uma característica fundamental para se relacionar bem com as pessoas e ter um desempenho profissional de sucesso. Essa busca será mais proveitosa seguindo cada uma das dicas deste post.

Gostou de saber sobre esse assunto? Aproveite e veja como conseguir ter uma vida tranquila e longe do estresse.

Últimas Notícias

Bem-Estar