Óleos essenciais: para o corpo, a saúde e o seu bem-estar

Essência: substantivo feminino, aquilo que é o mais básico, o mais central, a mais importante característica de um ser ou de algo. O que constitui a natureza das coisas. Qualidade predominante, o que há de mais puro, caráter distintivo. Os dicionários estão cheios de definições e uma delas extraímos para a sua felicidade: óleos essenciais.

Óleos essenciais são verdadeiras joias concentradas. Para obter cada preciosa gota, muitas vezes é preciso até 50 gramas de flores, folhas, ramos, madeira, frutos ou raízes de uma planta espremida, macerada, prensada, destilada, entre outros processos físicos. Tudo em busca de sua vasta amplitude de ações terapêuticas.

O poder dos óleos essenciais

Eles atuam como cicatrizantes, hidratantes, bactericidas, antissépticos, afrodisíacos. Revitalizam as células do corpo, tratam problemas de pele, artrite, reumatismo, ativam os sistemas imunológicos, olfativo e nervoso central, melhoram a circulação sanguínea e muito mais. E causam sensações de relaxamento, serenidade, equilíbrio, alegria, controla a ansiedade, o medo, combate a depressão, entre outros benefícios comprovados há tempos.

Há indícios do uso de essências (de gengibre e ópio) em 2700 a.C pelos chineses, em 2000 a.C. pelos hindus, persas e egípcios (capim limão) tanto em cerimônias religiosas como para fins terapêuticos. E foram os alquimistas árabes que aprimoraram os equipamentos de destilação e colheram louros por serem pioneiros em extrair óleos de flores, como o de rosas.

Muito bem, o papo está ótimo, mas como se usa, na prática, um óleo essencial?

Há diferentes maneiras. Antes, durante ou depois (como hidratante) do banho, na água da banheira, numa sessão de massagem, em compressas, escalda-pés, inalações (cobrindo a cabeça com uma toalha, inalando o vapor). Ou mesmo para aromatizar seu espaço, através de um difusor de vela ou de tomada.

Para a arquiteta e terapeuta de ambientes Aline Mendes, os óleos influenciam nossas emoções. “O de lavanda limpa energeticamente e relaxa. É bom para ajudar a dormir e para problemas de insônia. Já quem está precisando de estímulo, está cansado, desanimado, deprimido, indico o aroma de alecrim. A simbologia do nome ‘alecrim’, que vem do ‘alegre’. É muito feliz essa associação”. Essencial, nós diríamos.

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

Últimas Notícias

Bem-Estar