Afinal, o que é preciso para garantir uma boa rotina de sono?

Dormir bem é fundamental para manter o corpo e a mente saudáveis. No entanto, segundo um estudo divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 45% da população mundial não consegue ter uma boa noite de sono, o que configura uma epidemia e está diretamente relacionado às mudanças de comportamento provocadas pela sociedade moderna.

Você também sofre com esse problema? Saiba que desenvolver uma rotina do sono é indispensável para combater esse mal. O sono ajuda a consolidar as novas lembranças e a atualizar as informações antigas sobre o que aprendemos recentemente, além de realizar conexões entre elas e filtrar os dados mais importantes, que devem ser memorizados.

A OMS recomenda dormir oito horas por dia — tempo suficiente para melhorar o metabolismo, prevenir doenças crônicas e potencializar o seu aprendizado.

Está cada vez mais difícil deitar e dormir profundamente? Confira, como sair dessa situação e quais são os riscos de ficar nela por muito tempo.

Como criar uma rotina do sono?

Uma rotina noturna é formada por uma série de tarefas que ajudam a desacelerar e a preparar o seu corpo para dormir de uma maneira restauradora. Veja, a seguir, como estabelecer uma rotina do sono saudável:

Crie um ambiente favorável para o sono

A escuridão é uma boa aliada do sono. Tentar dormir em ambientes muito claros e com muita incidência de luminosidade atrapalha a sua noite e faz você acordar várias vezes. Portanto, adapte o seu quarto para que ele fique realmente escuro — a ponto de não conseguir enxergar nada que possa ser um foco de distração.

Há algumas opções que ajudam a criar esse ambiente, como cortinas e janelas blackout. Se isso não for possível, adote uma máscara para dormir, que mesmo que não bloqueie toda a luminosidade do ambiente, já ajuda bastante.

Fique longe dos aparelhos eletrônicos antes de dormir

É recomendável desligar os aparelhos eletrônicos, pelo menos, 90 minutos antes de se deitar para dormir. A razão para isso é o fato de os equipamentos eletrônicos como celular, notebook e televisão emitirem uma luz azul que diminui a produção de melatonina e faz o nosso cérebro acreditar que ainda há luz disponível no ambiente, e que, por isso, deve permanecer em estado de alerta.

Resolva todas as suas questões antes de ir para cama. Em seguida, desligue o seu celular para não ficar recebendo as notificações de e-mail e redes sociais, que podem despertar a sua curiosidade e a ansiedade e afetam a qualidade do sono.

Não tome estimulantes à noite

Para quem costuma ir à academia à noite, não é indicado consumir estimulantes e termogênicos muito tarde. Substâncias como taurina, cafeína ou até mesmo produtos naturais como gengibre, canela e café agem no sistema nervoso, estimulando o metabolismo. Como consequência, você fica em alerta por um período maior, perdendo horas de sono.

Descubra o melhor horário para dormir e acordar

Quando tiver um tempo disponível, procure ir para a cama sempre no mesmo horário e tente acordar sem despertadores. Se você tem problemas contínuos para pegar no sono, a tendência é que demore algumas semanas para regular o seu corpo e descobrir o melhor horário para dormir. Mas, com a prática, isso se tornará um hábito e vai condicionar o seu organismo a adormecer e a despertar na mesma hora.

Reduza a temperatura do seu corpo antes de dormir

O nosso corpo diminui a própria temperatura no momento em que dormimos. Sendo assim, é provável que você consiga dormir melhor se tiver um ar-condicionado no quarto. Porém, também não é indicado sentir frio, o ideal é preservar uma temperatura média de 21°C.

Evite tomar banho muito quente antes de se deitar e dê preferência a roupas mais frescas e confortáveis. Quanto mais quente estiver o seu corpo, mais tempo ele vai levar para chegar à temperatura ideal e desligar-se por completo do ambiente externo.

A rotina do sono ajuda a equilibrar a mente e corpo, proporcionando uma vida mais saudável. No início, você poderá ter dificuldades para cumpri-la, mas trata-se de um hábito que será construído aos poucos. Então, não se preocupe se não conseguir praticá-la com exatidão nos primeiros dias. O importante é persistir na sua rotina e encontrar os hábitos que mais se adequam ao seu perfil.

Quais são os malefícios de noites mal-dormidas?

Quando o sono é reparador e de boa qualidade, acontece a revitalização do seu bem-estar físico e psicológico, bem como a reposição de energia perdida durante o dia, a regeneração do sistema celular e o aumento da proteção do sistema imunitário. Mas se isso não ocorre, você fica exposto a diversos problemas. Confira!

Cansaço mental

A falta de sono impede o descanso pleno do cérebro, o que prejudica a comunicação entre os neurônios que, por sua vez, são responsáveis pela produção de hormônios relacionados ao bem-estar, como a serotonina. Por isso, se não descansamos direito, nos sentimos cansados mentalmente, mal-humorados, apáticos e estressados. Em alguns casos, há pessoas que se sentem tristes e incapazes de cumprir com as suas obrigações diárias.

Doenças crônicas

Apresentar dificuldades para dormir é equivalente a um estado de estresse — condição que aumenta a produção de insulina e adrenalina no corpo. Assim, dormir mal aumenta a pressão sanguínea durante a noite. Ao longo do tempo, essa alteração acaba se tornando permanente, desencadeando a hipertensão.

Além disso, também há mais riscos de desenvolver o diabetes do tipo II. Isso acontece porque o seu organismo torna-se resistente à insulina, fazendo com que o corpo não utilize essa substância da maneira correta. Sem esse elemento, você não consegue metabolizar os açúcares, elevando as taxas de glicose.

Desempenho físico afetado

Um sono incompleto gera fadiga e prejudica o desempenho motor. Ao dormir profundamente e sem interrupções, o seu corpo produz o hormônio GH, que atua no crescimento e que é sintetizado apenas 30 minutos depois que dormimos. Esse hormônio auxiliar a manter o tônus muscular, evita o acúmulo de gorduras, combate a osteoporose e melhora a performance nas atividades físicas.

Envelhecimento precoce

Enquanto dormimos o nosso organismo produz hormônios ‘’rejuvenescedores’’, como a melatonina e o hormônio do crescimento, que têm funções calmantes e reparadoras para a pele. Dormir pouco não deixa o corpo descansar adequadamente. Como resultado disso, a pele perde o viço e fica com olheiras. Sem falar que o estresse também favorece o envelhecimento e o desenvolvimento de rugas.

Gostou deste post? Então, siga-nos nas redes sociais e acompanhe os nossos conteúdos! Estamos no Facebook e no Instagram.

Você também pode se interessar por:

Chega de insônia: dicas para te ajudar a pegar no sono

As maravilhas de entender o biorritmo do seu corpo

Problemas para dormir? 5 jeitos de acabar com essa situação

Últimas Notícias

Bem-Estar