Estresse: o guia completo para você saber lidar com ele e ter qualidade de vida

Presente em diferentes cotidianos, o estresse é um dos males mais comuns na vida do cidadão moderno. Mesmo com cada vez mais recursos tecnológicos e avanços que facilitam a vida, ninguém está livre de ter que lidar com esse incômodo.

Longe de ser algo inofensivo, ele pode desencadear uma série de reações e até mesmo doenças mais graves, diminuindo a qualidade de vida e interferindo muito negativamente no cotidiano da pessoa. Diante disso, é fundamental entender o que é o estresse, quais os tipos e como ter um estilo de vida e cuidados que o evitem.

Para ter acesso a essas informações, siga conosco, pois este post vai abordar o assunto em detalhes, falando sobre como o estresse se configura e o que ele pode trazer de ruim, além de dar dicas de como superá-lo. Confira!

O que é o estresse?

Entender o estresse passa por uma compreensão de como o organismo o entende e do que realmente acontece com cada pessoa que sofre desse problema, e você compreenderá ambos a seguir.

No cotidiano, as situações de extrema cobrança, pressão, ansiedade e nervosismo são constantes, já que os resultados precisam aparecer, especialmente, para quem trabalha no mundo corporativo.

Além disso, há também as questões na vida pessoal: filhos, relacionamento, família e o que mais causar preocupação. Se dividir entre esses compromissos com a responsabilidade de entregar o melhor em todos pode gerar grandes esforços, e nem sempre a mente reage de forma adequada a essas situações. Veja mais detalhes:

O estresse no corpo

O estresse é uma consequência desse enorme fluxo de informações, cobranças e responsabilidades. Ele é, primeiramente, uma reação do organismo, que entende que, a todo momento, a pessoa está passando por uma situação de extremo risco de vida, justamente, quando se chega nesse nível de nervosismo.

Quando o estresse se configura, o organismo tenta controlar essa reação exacerbada, liberando uma série de hormônios, sendo que a maioria tem uma grande quantidade de açúcar. Esse processo acontece para poder controlar os níveis de nervosismo e, assim, acalmar a pessoa.

A grande questão é que essas situações de extremo risco quase nunca acontecem, porém, as reações são tão fortes e recorrentes que o organismo entende que esse quadro é vivido de forma recorrente, quando, na verdade é só estresse.

O perigo mora aí: essa confusão passa a ser feita em uma frequência cada vez maior, e a tendência é que haja hormônios em excesso tentando controlar coisas simples do cotidiano, e isso traz algumas consequências prejudiciais à saúde. A única maneira de conseguir vencer essa situação é buscando um estilo de vida mais saudável, que evite a entrada nesse quadro de forma recorrente.

Quais são os tipos de estresse?

Quando o estresse está fora do normal e realmente afetando a vida das pessoas, ele passa a ter diferentes características, que também se manifestam com as suas particularidades em cada um dos organismos. Assim, esses variados tipos acabam tendo grande peso ao definir como será o cotidiano da pessoa, já que podem afetar atividades e momentos distintos.

Cada um desses diferentes tipos de estresse pode ser definido e classificado de acordo com as reações mais comuns e seus efeitos no cotidiano de quem sofre com elas. A seguir, conheça os principais e as suas características mais comuns.

Estresse agudo

O estresse agudo é aquele mais presente no cotidiano das pessoas, sendo o que mais afeta quem está sempre na correria do dia a dia. Ele aparece de forma recorrente, toda vez em que as cobranças e as preocupações realmente incomodam, causando aquela sensação de muita apreensão, nervosismo e irritação.

Ele não tira a pessoa do controle, mas incomoda porque está pressionando e mostrando como a rotina tem sido desgastante devido a todos os compromissos. Esse tipo de estresse causa muito cansaço, especialmente no cotidiano, aparecendo sempre.

Estresse psicológico

O estresse psicológico age de uma forma bastante contundente, impedindo a pessoa de tomar controle de determinadas situações estressantes, simplesmente porque seu organismo falha ao descarregar os hormônios no momento de reagir às situações.

Isso acontece por conta de alguma situação traumática que aconteceu no passado, ou por simples problemas emocionais. A tendência é que quem sofre dessas características esteja cada vez mais propenso à recorrência, se mostrando vulnerável psicologicamente.

Estresse crônico

Conhecido por ser um dos tipos mais desgastantes, sua principal característica é estar sempre ali, acompanhando o cotidiano de um indivíduo, mesmo sem causar reações muito fortes ou exacerbadas. Essa presença é tão constante e comum que a maioria das pessoas que sofrem com esse tipo são aquelas rotuladas de “estressadas”, justamente por estarem sempre sofrendo.

O estresse crônico ganha esse status de quase permanente por conta de eventos traumáticos e altamente estressantes, que afetam para sempre a vida de uma pessoa. Por não conseguir superar o acontecimento, as consequências se mantêm presentes na personalidade.

Estresse episódico

Conhece alguém que está sempre com pressa, cheio de compromissos e com a vida virada de cabeça para baixo? Essa pessoa carrega todas as características tradicionais de alguém que sofre de estresse episódico. Ele costuma aparecer em quem realmente tem rotinas múltiplas, muitos compromissos, grandes responsabilidades e, naturalmente, pouco tempo para conciliar tudo.

Como consequência, essas pessoas estão sempre vivendo no limite, mostrando características ranzinzas, sempre com muito mau humor, se irritando muito facilmente. A realidade por trás disso tudo é que quem sofre do estresse episódico nunca consegue relaxar, se sentindo sempre pressionado e como se estivesse prestes a falhar em algum compromisso, em uma postura até mesmo pessimista.

Quais sãos os principais sintomas?

O estresse tem manifestações de personalidade, o que fica muito claro para quem está de fora e convive com pessoas que sofrem disso. Entretanto, ele também traz sintomas físicos, que são realmente um fardo para quem está sempre nessa situação.

Além de toda a irritabilidade, ansiedade e mau humor, há também aquelas manifestações que acontecem no corpo, mostrando como o estresse é realmente uma doença mais perigosa do que se pensa. A seguir, veja os principais sintomas e o que cada um deles pode causar.

Doenças de pele

O estresse é realmente um problema muito sério e isso pode ser percebido ao entender o nível de sintomas que ele causa. Até mesmo a pele sofre quando há o problema, por conta de um enfraquecimento natural da derme, devido aos períodos de alta tensão vividos.

As situações de extremo estresse podem até mesmo desencadear alergias, que vão se manifestar por meio de coceiras constantes em períodos específicos. Há também a incidência de manchas vermelhas que descamam, conhecidas como psoríase. Outras doenças como a psoríase, além de irritações aleatórias, podem acontecer.

Dores de cabeça

Talvez um dos sintomas mais recorrentes e primários, as dores de cabeça estão sempre presentes após dias cansativos e estressantes, porém, elas podem indicar situações mais graves quando são recorrentes.

A alta tensão e nervosismo afetam diretamente a circulação sanguínea na região da cabeça, o que promove a contração das veias e faz com que menos sangue circule, resultando nas dores. A recorrência desse sintoma pode ser cada vez pior, afetando muito a qualidade de vida de quem sofre com ele.

Distúrbios alimentares

A alimentação é parte fundamental da vida de qualquer pessoa, afetando seriamente o bem-estar se não é feita corretamente. O estresse também traz consequências e sintomas que se manifestam nessa etapa do dia, em distúrbios que podem causar tanto a perda da fome quanto uma insaciabilidade extrema.

Há aquelas pessoas que simplesmente perdem o apetite graças ao estresse, passando a se alimentar menos, reduzindo refeições e passando grandes períodos do dia sem comer absolutamente nada, o que causa um perigoso déficit de nutrientes ao corpo.

Em contrapartida, há pessoas que passam a sentir fome o tempo todo, comendo, na verdade, para tentar controlar uma ansiedade exacerbada, característica muito comum de quem sofre com o estresse.

Problemas nas articulações

O estresse prejudica o organismo em uma importante função, que é a anti-inflamatória. Quando isso acontece, é comum que articulações e regiões como as mãos e pés estejam sempre doloridas, mesmo que não tenha havido nenhum esforço durante o dia que justificasse essa situação.

Dores musculares

Uma das características mais fáceis de se perceber em situações de estresse é a grande tensão corporal que ele causa: músculos contraídos, como se uma força fosse feita, mesmo que não haja nenhuma necessidade. Nessa situação, a circulação sanguínea também é prejudicada, o que afeta diretamente a musculatura de todo o corpo.

Ao fim desses períodos, ou ao final do dia, é possível sentir muito cansaço, graças ao nível de energia que é consumida nesse momento de tensão. Além disso, dores nas costas, ombros e na região lombar também são comuns, parecendo ainda mais fortes, já que o estresse deixa o corpo mais sensível à dor, por conta dos hormônios que são liberados.

Queda de cabelo

Os cabelos podem ser severamente afetados durante os períodos de estresse, devido aos hormônios que são liberados quando o corpo está nesse período. O estriol passa a estar presente no corpo e ele afeta a nutrição dos fios, deixando eles naturalmente mais fracos, o que causa a queda do cabelo.

Isso acontece geralmente nos fios que estão crescendo, impedindo que completem todo esse processo. Assim, a tendência é que cada vez mais cabelo caia, reduzindo o volume nas mulheres e desencadeando até mesmo a calvície nos homens — porém, isso pode ser revertido com o tratamento adequado.

Problemas digestivos

Também muito comuns, os problemas digestivos podem estar presentes de forma constante, especialmente, em quem já tem alguma predisposição a essas questões. Eles podem acontecer por conta dos hábitos ruins na alimentação, como você viu, ou somente pela atuação do estresse no organismo.

Entre os sintomas, estão as dores recorrentes e uma grande dificuldade de digerir os alimentos após as refeições, mesmo que eles sejam os mais leves possíveis. O constante nervosismo e ansiedade podem desencadear essas reações. Além disso, náuseas, vômitos e diarreia também podem ocorrer.

Surgimento de acne

O estresse afeta diretamente o organismo e sua capacidade autoimune, e uma das consequências dessa situação é a manifestação de acnes, tão incômodas e que sempre estão ligadas a questões de saúde, apesar de incomodarem mais pela estética. As alterações de hormônios — uma das questões mais características do estresse — também têm forte relação com as acnes.

Quais são as causas do estresse?

A manifestação do estresse pode acontecer por diversos tipos de acontecimentos, ou até mesmo por hábitos adquiridos durante a vida. Não há uma razão única e que possa ser apontada, pois cada pessoa tem a sua própria história, suas necessidades e seus costumes, então, para cada contexto, o estresse tem uma causa mais específica e característica. Veja algumas das principais situações a seguir!

Eventos de ansiedade

Um novo emprego, uma mudança, a entrada em uma nova escola. Todas essas situações que causam ansiedade podem evoluir, se tornando um fator decisivo e capaz de desencadear situações de estresse, que passam a ser prejudiciais.

Situações de relacionamentos interpessoais

O estresse também pode acontecer devido a situações de relacionamentos, em especial, naqueles em que haja muita tensão, como em términos. Uma briga com um amigo também pode ser uma dessas situações.

Problemas pessoais

Qualquer tipo de problema pessoal pode desenvolver estresse. O adoecimento de uma pessoa querida, problemas financeiros, pressão grande no emprego e diversas outras questões podem ser altamente estressantes.

Medicamentos

Há medicamentos que também podem aumentar o nível de tensão e ansiedade de quem precisa deles. Entre eles, estão os de asma, tireoide, dietéticos e remédios para resfriado.

Hábitos ruins

Hábitos ruins podem causar vários tipos de problemas na vida de qualquer pessoa, e o estresse é naturalmente um desses. O consumo de álcool, energéticos, cigarro e até mesmo de drogas como a cocaína é um fator que direciona diretamente para a perda da qualidade de vida e também para o estresse.

Como o diagnóstico é realizado?

O diagnóstico do estresse é feito de forma muito simples: o médico precisa avaliar vários sintomas para, assim, conseguir chegar na conclusão de que o quadro é realmente esse. Entretanto, para ter certeza de que não há nada além disso, certamente, ele vai solicitar uma bateria de exames, já que muitos desses sintomas podem estar ligados a outras doenças.

O que vai facilitar esse diagnóstico é justamente o relato do paciente a ele, que vai avaliar uma série de questões, desde o questionamento de todos os sintomas que o paciente está sentindo, até mesmo perguntas sobre o dia a dia daquela pessoa. Questões mais pessoais também serão feitas — por exemplo, se há algum problema causando ansiedade e preocupação ou até mesmo em relação a traumas do passado.

Como você viu, o estresse pode estar ligado ao cotidiano e a eventos impactantes e que não puderam ser superados. Então, é justamente a identificação de uma situação, relacionando-as aos sintomas, que pode ajudar na identificação de um tipo de estresse.

Dessa forma, ao haver a suspeita de uma condição de estresse mais problemática, a busca por ajuda médica deve ser acompanhada de uma relação de todos esses sintomas e sensações presentes ao longo dos últimos tempos. Isso vai facilitar muito o diagnóstico do profissional. Nesse sentido, um clínico geral e um psicólogo podem ser consultados.

Como tratar o estresse?

O tratamento do estresse é baseado na superação dos fatores que tenham causado essa situação. Em situações em que um evento traumático seja a causa, por exemplo, a ajuda de um psicólogo e um psiquiatra podem ser fundamentais.

De qualquer forma, para lidar com essa situação, é preciso superar o estresse de diversas formas, aprendendo a conviver adequadamente com as situações que o causam, para, assim, recuperar o equilíbrio emocional e a qualidade de vida. Entre as principais etapas de tratamento, estão:

  • administrar: identificar o fator principal do estresse e aprender a lidar com ele de forma saudável;
  • resistir: essa etapa consiste em manter hábitos saudáveis e favoráveis a um estilo de vida longe do estresse;
  • enfrentar: o indivíduo precisa enfrentar o fator de estresse de forma diferente, superando o trauma ou encarando essa causa mais positivamente e tranquilamente.

Como lidar com o estresse no dia a dia?

O estresse está muito relacionado ao estilo de vida moderno, acelerado e com pouco tempo para dedicar-se a questões simples como uma alimentação regrada, a desaceleração e até mesmo a diversão.

A pressão por desempenho e a crescente falta de tempo é terreno fértil para hábitos cada vez menos saudáveis, todos eles com relações muito próximas do estresse. Para quem já se encontra em um quadro mais avançado da doença, de forma que ela afete a qualidade de vida, é fundamental buscar ajuda médica para superá-la.

Entretanto, o estresse pode afetar qualquer pessoa e, por isso, é importante saber lidar com ele de forma positiva, com práticas e hábitos preventivos e que ajudem a enfrentar situações de alta tensão no dia a dia. Vamos ver como?

Alimente-se adequadamente

Uma alimentação saudável tende a dar ao corpo tudo que ele precisa para saber encarar um cotidiano mais acelerado, sem que falte energia e disposição. Para isso, é preciso buscar nutrientes, sempre oferecendo ao organismo o melhor para que ele funcione bem.

Além disso, cortar hábitos ruins é fundamental! O café, por exemplo, pode aumentar os níveis de ansiedade, o que é um gatilho muito perigoso para o estresse. Além dele, o álcool, a gordura e o açúcar são muito prejudiciais para o humor e para a saúde física, deixando a pessoa mais vulnerável.

Pratique atividades físicas

Manter o corpo ativo não é somente uma questão estética. Praticar exercícios ajuda na função cognitiva, além de liberar serotonina, afastando sentimentos ruins e o mau humor. As atividades também ajudam o corpo a se fortalecer e a suportar melhor rotinas cansativas com maior resistência.

Fazer exercícios também pode ser um recurso para desestressar e diminuir a pressão do cotidiano, relaxando o corpo e encaminhando a parte final do dia para um descanso completo e um sono de qualidade.

Durma bem

Falando em dormir, essa é uma necessidade extremamente importante no combate ao estresse. Uma noite de sono de qualidade é capaz de renovar as energias, permitir que o corpo absorva nutrientes e realize todos os seus processos fundamentais para o bem-estar.

Como consequência, a irritabilidade diminui e a disposição para encarar o próximo dia é maior. Para isso, livre-se de hábitos como refeições pesadas à noite e deixe de lado o seu smartphone antes de dormir, assim como os filmes, pois eles podem ser inibidores do seu sono.

Divirta-se

Como viver sem sorrir? Com tantos compromissos e responsabilidades, tem muita gente por aí se esquecendo de se divertir, ou preterindo esses momentos de lazer para sempre cuidar de algo. A questão é que relaxar é uma questão de saúde, que vai proporcionar momentos de grande motivação e felicidade, facilitando justamente a forma como as dificuldades serão vistas.

Vá ao cinema, ao jogo do seu time de coração, encontre seus amigos e familiares, pratique seu hobby favorito. As opções são vastas — basta escolher a sua e relaxar!

Relacione-se bem

No dia a dia, o relacionamento interpessoal é parte muito importante, seja em casa, seja no trabalho. Tentar evitar isso vai certamente isolar a pessoa e trazer problemas muito incômodos, algo que não vale a pena e que não deve ser feito, já que ninguém consegue viver sozinho.

Quando é possível manter bons relacionamentos, o estresse é controlado mais facilmente, já que essas pessoas estarão ao seu lado, e não serão alvos. Procure se relacionar bem no trabalho, por exemplo, ainda que isso não signifique uma amizade com todos, mas uma relação de respeito e cooperação.

Os familiares também são pessoas muito importantes. Nos momentos difíceis, eles serão um grande suporte emocional, tornando as dificuldades menores e dando grande motivação. Além disso, em dias estressantes, poder voltar para casa e encontrar quem você ama é reconfortante.

Organize sua agenda

Os compromissos são muitos? Se eles não estiverem devidamente organizados, pode ficar tudo pior e ainda mais estressante. A disciplina é fundamental e deve reger tudo que você faz, desde a hora em que você acorda até o momento em que você chega em casa.

Com tudo devidamente organizado e bem distribuído, será possível ter mais tranquilidade e produtividade. A procrastinação também deve ser evitada, já que deixar tudo para cima da hora certamente vai causar correria e estresse.

Controlar, evitar e tratar o estresse são questões muito necessárias para a vida de qualquer pessoa. Poder evitar é a melhor alternativa, e bons hábitos ajudam muito. O mais importante é compreender como isso pode afetar a sua vida, se dispondo a não permitir esses problemas.

Gostou deste conteúdo? Evitar o estresse passa por levar uma vida saudável. Entre em contato conosco e saiba mais sobre o nosso trabalho!

Últimas Notícias

Bem-Estar