O que é ansiedade? Veja tudo o que você precisa saber!

Comum para alguns, um tormento para outros. Entender o que é ansiedade passa, primeiramente, por saber que ela é um sentimento normal, mas também requer conhecer melhor o que ela proporciona quando se manifesta em excesso.

ansiedade é capaz de desencadear comportamentos pouco saudáveis, causando uma série de problemas. Quando está acima do normal, esse sentimento pode ser explicado por algumas causas. Quando ele incide, também traz sintomas e reações muito características.

Este post vai trazer tudo o que você precisa saber sobre a ansiedade e como ela pode interferir na vida de alguém, além de ensinar como lidar com esse problema. Confira!

O que é ansiedade?

Quando se está prestes a realizar uma importante apresentação no trabalho, quando é dia de prova importante na universidade ou quando você vai encontrar aquela pessoa de quem você gosta — a ansiedade é um sentimento que aparece em diversos momentos, podendo ser diante daqueles que gerem um nervosismo, ou dos que têm tudo para serem ótimos e, por isso, geram a expectativa positiva.

Entretanto, esse tipo de ansiedade acontece com qualquer pessoa, sem que seja algo realmente tão relevante assim. O problema se configura quando a ansiedade passa a ser cada vez mais constante e proporcionalmente complicada de ser entendida. Já se sentiu ansioso sem nem mesmo saber o porquê?

A ansiedade que motiva este post é aquela que desencadeia uma série de reações involuntárias, causando comportamentos pouco saudáveis e que só trazem coisas ruins para o dia a dia. Nesses casos, há uma doença, que é chamada de distúrbio de ansiedade. Ela é configurada justamente quando a ansiedade surge por qualquer motivo, a qualquer momento e, muitas vezes, como consequência de uma série de acontecimentos da vida.

Preocupação frequente

Quando a ansiedade é um problema, tudo pode ser motivo para que ela tome conta do corpo de quem sofre. Ainda que não apresente um motivo tão relevante, qualquer situação já pode ser o suficiente para gerar um comportamento de estresse. Com isso, o medo, a apreensão e a inquietação se instauram e consomem energia física e psicológica de quem está nesse quadro.

A recorrência desses eventos faz com que essas pessoas tenham um dia a dia de muitas dificuldades, em que situações e questões das mais variadas podem se tornar um gatilho para a ansiedade exacerbada.

Quando esse quadro se configura em alguém, é muito comum que essa ansiedade gere medos difíceis de serem explicados, realmente sem motivo aparente. O estresse causado por essa situação só tende a aumentar, provocando até mesmo a distorção da capacidade da pessoa em identificar motivos concretos para estar ansiosa.

O comportamento do corpo

Entender o que é ansiedade passa também por compreender o motivo pelo qual ela acontece. Esse sentimento é independente e automático, surgindo sempre que há uma situação de expectativa ou apreensão. O sistema nervoso identifica um cenário em que seja necessário reagir, com fuga ou preparo para uma situação de estresse emocional que está por vir.

Com esse acontecimento dentro do organismo, uma série de reações acontecem, como a aceleração do batimento cardíaco, a contração de músculos e órgãos como o intestino, a liberação em excesso da glicose no sangue e o aumento do volume de trabalho dos brônquios, o que faz a pessoa ficar ofegante.

Quais os principais tipos de ansiedade?

Tão importante quanto entender o que é ansiedade é saber que ela pode se mostrar de diversas formas diferentes quando ela está nesse nível, conforme citado, como um distúrbio. Dessa forma, a ansiedade pode ser o fator de desenvolvimento de incidências bastante específicas, que têm suas próprias características e agem de diferentes formas na pessoa que as apresenta.

Conhecer cada um desses tipos de ansiedade é muito importante para entender como ela pode gerar comportamentos e reações específicas, dando origem a situações de níveis de distúrbio. Veja as principais a seguir.

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Esse tipo de ansiedade é facilmente identificado na maioria dos casos, e se configura quando ela é bastante prolongada, fazendo com que absolutamente tudo seja atrapalhado pela persistência e a frequência de uma apreensão. É como se o sentimento nunca passasse, podendo ser percebido frequentemente ao longo do dia. A tendência é que isso se instale e mude bastante a vida de quem sofre.

A pessoa estará sempre muito preocupada, como se algo importante estivesse para acontecer, ou como se ela tivesse um compromisso importante. A sensação de iminência para algum fato também é muito comum, como uma espécie de sensação ruim frequente, causando muita inquietação.

Síndrome do pânico

Mais conhecida e difundida, a síndrome do pânico é um dos principais transtornos que a ansiedade pode causar. Nessa doença, as características são bastante particulares, afetando quem sofre dela com intensidades específicas.

Na síndrome do pânico, as crises são comuns e podem acontecer em qualquer momento e em qualquer lugar, sem nenhum tipo de sensação prévia ou motivação, afinal, ela é um distúrbio. A pessoa que sofre entra em desespero, caracterizado por um medo inexplicável, grande sensação de agonia e apreensão, como se algo de muito ruim estivesse prestes a acontecer.

As crises são recorrentes, mas muito difíceis de se perceber quando estão para ocorrer, o que causa ainda mais estresse e preocupação, tendo em vista que elas podem surgir até mesmo no trabalho. Como consequência, a síndrome do pânico interfere muito na qualidade de vida da pessoa, que está sempre na iminência de um novo momento como esse.

Ansiedade social (fobia social)

Para algumas pessoas, pode ser difícil estar em meio a gente nova, especialmente, em locais mais cheios e em que quase ninguém é conhecido. Para alguns, isso é apenas uma situação de timidez, mas esse quadro pode se transformar em uma fobia, quando há extremo medo, preocupação e aversão a situações como essas.

Qualquer ocasião em que a pessoa esteja em convívio social e novos lugares pode ser motivo suficiente para uma ansiedade muito grande e uma extrema apreensão. Isso aumenta quando ainda há a possibilidade de ter que socializar e, principalmente, falar em público. É importante sempre se manter atento a esse tipo de sintoma. A timidez não pode ser confundida com um quadro de fobia social, que causa problemas maiores e que pode ser tratado.

Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)

O TOC — como é popularmente conhecido — é mais um distúrbio de ansiedade de origem psiquiátrica. Ele pode ir de níveis mais simples até aqueles mais graves, em que a pessoa se depara com problemas que atrapalham sua vida.

A maneira como o TOC se manifesta é bem característica, causando comportamentos com viés obsessivo, dentro de uma compulsão com questões específicas, como movimentos repetitivos, metodismos exagerados e pensamentos recorrentes de forma obsessiva.

Para essas pessoas, é muito difícil se livrar dos pensamentos e das reações que as fazem agir de maneira repetitiva — quando se trata de questões comportamentais — e compulsiva — quando isso acontece por meio de hábitos como a necessidade de deixar determinado objeto em uma posição muito específica dentro da decoração de sua sala de estar,.

A ansiedade é a grande causa para que esses distúrbios atinjam as pessoas, desencadeando esses pensamentos e comportamentos obsessivo-compulsivos.

Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT)

As situações traumáticas geram um estresse extremo, e isso pode não ser algo momentâneo, realmente deixando marcas para muito tempo, às vezes, por toda a vida. Esse quadro é comum e é chamado de Transtorno de Estresse Pós-traumático.

Casos comuns que geram esses problemas são situações de violência, em que a pessoa foi vítima ou presenciou acontecimentos que geraram muitos problemas e dificuldades, ou perdas de pessoas queridas, por exemplo. Em todos esses casos, o TEPT pode acontecer.

A situação de extrema ansiedade — causando aflição, apreensão, medo e até mesmo reações físicas — acontece quando a pessoa lembra do fato ou entra em contato com alguma situação, pessoa ou objeto que remeta ao acontecimento.

Crises de ansiedade

As crises de ansiedade acontecem de forma recorrente com as pessoas que sofrem do distúrbio clássico. Esses momentos são aqueles esporádicos, durante o dia, em que o sentimento de apreensão e alta expectativa acontecem sem nenhum motivo aparente, causando reações que, muitas vezes, são físicas.

Durante as crises de ansiedade, é mais difícil falar, há suor em excesso, como em casos de nervosismo, além da dificuldade de se concentrar em alguma atividade ou até mesmo ficar parado em algum lugar.

Essa não é uma situação tão complexa como outras, se resumindo aos sintomas comuns da ansiedade, mas acontece em momentos completamente aleatórios. É como se sentir muito ansioso sem ter motivo.

Ataques de ansiedade (crise existencial)

Muitas vezes encarada com pouca seriedade, a crise existencial, como é popularmente conhecida, é bem mais grave do que se pode pensar e, na realidade, ela é um ataque de ansiedade. Sua incidência é bem parecida com as crises, em que ela surge sem nenhuma razão ou causa aparente, mas ela traz consigo uma série de questionamentos e, principalmente, inseguranças.

A pessoa tende a questionar seu papel na sociedade, se suas escolhas de carreira e vida pessoal são corretas, duvida se é alguém de caráter e se suas atitudes são corretas, além de uma série de outras questões. A extrema insegurança sobre suas capacidades, decisões e relacionamentos é o que marca fortemente os ataques de ansiedade.

Quais são as causas da ansiedade?

Naturalmente, algumas pessoas estão mais expostas e suscetíveis à ansiedade. Não há uma causa exata que determine isso, e essa condição pode estar associada a uma série de fatores. Seja por questões de saúde (de ordem psicológica ou física), seja por genética, a ansiedade pode aparecer sem mesmo que haja algo de concreto. Veja a seguir as causas mais recorrentes identificadas.

Genética

É muito comum que doenças e distúrbios acabem sendo passados por gerações devido aos dados genéticos. Se há um histórico familiar de pessoas com transtornos de ansiedade, sempre haverá uma chance de sofrer com o mesmo problema.

Eventos traumáticos

Como citado, situações de alto estresse podem causar traumas, e esses podem gerar transtornos de ansiedade para o resto da vida, entre eles, o TEPT. Esse é um fator de risco muito concreto, e as chances de desenvolver o transtorno crescem consideravelmente nessas situações.

Personalidade

Traços específicos de personalidade também podem abrir mais espaço para a ansiedade em níveis de transtorno. Ou seja, a maneira como a pessoa encara situações de pressão que estão por vir, ou, como citado, a timidez excessiva, que pode causar a fobia social. Esses comportamentos podem potencializar níveis de estresse até que isso se torne uma doença. Naturalmente, isso não é proposital, pois faz parte da personalidade de cada um.

Pessoas muito perfeccionistas e que buscam resultados extremos em todas as áreas de suas vidas também tendem a ser ansiosas, por nunca acharem que estão sendo competentes. A questão da personalidade, especialmente nesses casos citados, é um fator de risco.

Doenças físicas

As doenças físicas causam uma série de reações no corpo humano e no organismo, que podem se manifestar em ordem emocional, como a ansiedade. Frequentemente, quem sofre de um quadro de transtorno nem mesmo imagina que isso possa estar associado a uma doença física, então, não busca tratamento.

Entre as principais estão problemas cardíacos, respiratórios, dores crônicas e doenças de ordem hormonal. Com suas características, cada uma acaba causando preocupações e anseios em quem sofre delas, o que é um gatilho para desenvolver transtorno de ansiedade.

Estresse em excesso

O estresse pode ser um fator de risco para o desenvolvimento de uma série de problemas, entre eles, o transtorno de ansiedade. A exposição constante a situações de estresse pode desenvolver uma insegurança acerca do que vem a seguir, e isso gera uma ansiedade repetitiva, até que isso evolua para uma doença.

Abuso de drogas e álcool

Outro fator de risco, o abuso de substâncias desse tipo pode estar facilmente relacionado ao desenvolvimento de comportamentos de ansiedade em excesso.

Qual a relação da ansiedade com o ganho de peso?

A ansiedade em níveis crônicos se torna uma situação constante de estresse para o corpo. O cérebro entende que há situações de risco iminente, mesmo quando isso não existe, e age tentando controlar essa questão por meio de seus mecanismos naturais.

Um dos fenômenos que acontecem no corpo humano durante os momentos de pico da ansiedade é a liberação do cortisol. Esse hormônio é descarregado na corrente sanguínea toda vez em que o corpo entende que há a necessidade dessa injeção de adrenalina para que a pessoa possa encarar essas situações de risco e altamente estressantes.

Quando há o transtorno de ansiedade, a tendência é que a pessoa se sinta frequentemente em risco iminente, e isso gera descargas de cortisol constantes, quando, na verdade, elas são completamente desnecessárias. Os sentimentos que a ansiedade proporciona causam confusão no organismo e, em longo prazo, isso aumenta os níveis de cortisol consideravelmente, em excesso.

Essa situação gera uma série de reações consequentes no corpo, e uma delas é o ganho de peso, devido ao fato do cortisol ajudar na produção de açúcar presente na corrente sanguínea, estimulando o acúmulo de gordura, especialmente abdominal. Assim, o cortisol estimula o glicogênio, que fica na região do fígado, e a produção de açúcar naquela área dá origem à barriga.

Junto ao ganho de peso, os altos níveis de cortisol — estimulados pelo transtorno de ansiedade — também podem ser causadores de problemas de saúde mais sérios, como diabetes, colesterol alto, aumento da pressão arterial e até mesmo (em casos bem graves) a depressão.

Quais são os sintomas da ansiedade?

Agora que já sabemos o que é ansiedade, tipos e causas, tenha em mente que a manifestação dela acontece de várias formas, e saber notar esses acontecimentos é de grande importância no que diz respeito à identificação de que ali há um comportamento fora do comum. O sentimento pode até ser normal, porém, quando alguns desses sintomas se instauram, é bom ligar o alerta, pois pode haver um quadro de transtorno.

Esses sintomas podem se manifestar de todas as maneiras possíveis, desde questões comportamentais, com sensações e pensamentos específicos, até reações físicas frequentes. Vejamos a seguir as principais que ajudam a identificar um quadro de ansiedade fora do comum.

Os principais sintomas psicológicos

  • tensão constante: passa a ser difícil para a pessoa se ver em um estado emocional tranquilo, como se estivesse tudo bem, mesmo quando essa seja a situação atual;
  • insônia: dormir também é um problema, já que os pensamentos acelerados e o desconforto da ansiedade estão sempre presentes;
  • concentração prejudicada: se concentrar em uma tarefa no trabalho, nos estudos ou em um filme é complicado, já que muita coisa está passando pela cabeça, além da sensação de que algo vai acontecer a qualquer momento;
  • irritação: tudo irrita e estressa com mais facilidade, tornando os relacionamentos interpessoais mais delicados;
  • foco excessivo no que anseia: geralmente, a ansiedade tem um foco principal, como um medo específico, e fica cada vez mais difícil tirar o foco desse pensamento;
  • preocupação: a preocupação passa a ser exagerada e com qualquer coisa.

Os principais sintomas físicos

  • suor em excesso: a ansiedade causa o suor em excesso, mesmo que a temperatura não esteja tão alta assim;
  • náusea: essa reação está muito ligada a situações de extremo nervosismo e também ansiedade, como é o caso;
  • músculos contraídos: a constante situação de alerta em que a pessoa se encontra faz com que os músculos estejam sempre rígidos e contraídos, causando cansaço que, por vezes, é difícil de ser compreendido;
  • dor de barriga: assim como a náusea, a dor de barriga também é muito comum nesses casos, podendo até mesmo evoluir para uma diarreia;
  • falta de ar: é mais difícil respirar quando há transtornos de ansiedade e quando a sensação está no pico;
  • insônia: a qualidade do sono também vai piorando, e dormir será um problema, causando cansaço e dificuldade de concentração no dia seguinte.

Como tratar o transtorno de ansiedade?

Ao longo deste conteúdo, você já viu o que é ansiedade e o que a diferencia do sentimento normal para o transtorno. É nessa segunda ocasião em que o estilo de vida da pessoa acaba mudando por completo, perdendo em qualidade devido à sua doença. Os sintomas são claros e fáceis de serem percebidos, o que já ajuda bastante na identificação do problema.

A busca pelo diagnóstico profissional

Ao perceber que a situação está fora do normal e atrapalhando o dia a dia, o ideal é procurar ajuda médica. Somente um profissional vai ser capaz de diagnosticar a ansiedade crônica fora do comum e, então, direcionar o paciente para um tratamento adequado, que permita recuperar a qualidade de vida.

Esse diagnóstico pode ser dado até mesmo por um clínico geral, mas é importante também consultar com um psicólogo ou um psiquiatra. O primeiro é mais adequado quando há mais questões relacionadas à personalidade da pessoa ou a possíveis traumas, enquanto o segundo é mais recomendado quando o quadro já apresenta níveis de preocupação altos, a ponto de atrapalhar o cotidiano.

O tratamento

Diante de um diagnóstico adequado feito pelo profissional, o tratamento mais indicado vai ser direcionado, como parte fundamental para mudar o quadro de ansiedade. As consultas serão cada vez mais frequentes e as sessões com psicólogo ou psiquiatra serão de grande ajuda para que a pessoa consiga lidar com a situação da melhor maneira possível, entendendo o que causa aquele comportamento, passando a enfrentá-lo de maneira adequada.

Junto às sessões, dependendo do caso, a medicação pode ser necessária. Tudo depende do diagnóstico e da recomendação profissional, que deve ser seguida à risca, em favor de resultados positivos e da mudança do transtorno de ansiedade.

O que a falta de tratamento pode levar?

Entender o que é ansiedade em níveis de transtorno deixa muito claro o quanto a presença constante dessa sensação pode causar prejuízos. O lazer vai se tornando menor, as tarefas do dia a dia passam a ser complicadas, e tudo mais tende a ser feito com maior dificuldade e menor capacidade de concentração.

Resumindo, a perda da qualidade de vida é crescente, o que demanda uma dedicação urgente à busca por superar a ansiedade, e a única maneira de tornar isso possível é por meio de um tratamento com profissional. Abrir mão desse acompanhamento é se tornar refém de sentimentos de medo, apreensão e alta expectativa, quando não há nada de concreto que cause isso.

Não tratar a ansiedade pode levar à diminuição da capacidade como profissional, até mesmo custando uma posição de emprego. O ganho de peso também será constante, além da possibilidade de problemas de saúde variados.

Buscar entender melhor o que é ansiedade é fundamental, assim como procurar todos os recursos disponíveis para vencer essa questão que pode atrapalhar profundamente a vida. Assim, é possível viver livre de anseios e com total capacidade de se dedicar ao trabalho, aos estudos e à família.

Se você busca um estilo de vida mais saudável, entre em contato conosco e saiba mais sobre o que o nosso espaço pode lhe proporcionar!

Últimas Notícias

Bem-Estar