“Se o casal não entende como dialogar, o problema não tem solução”

Uma pesquisa do IBGE divulgada no ano passado mostrou que o número de casamentos no Brasil vem diminuindo ao longo dos últimos anos. Ao mesmo tempo, essa pesquisa mostrou um aumento no número de divórcios. Mas engana-se quem pensa que o problema é exclusivamente dos brasileiros, alerta o especialista em relacionamentos Edemar Lamarques. Segundo ele, a dificuldade em se relacionar é geral – atinge casais jovens e os mais maduros. A principal causa é a falta de diálogo.

 

“As maiores dificuldades nos casamentos têm sido a falta de conhecimento mútuo (embora pensem que se conhecem bem!); a dificuldade em “lidar” e respeitar as diferenças de cada um (individuais); e, a comunicação afetiva “deficiente”, inadequada ou inexistente.  Contudo, se não se entende o que é ou como se dá o diálogo entre cônjuges, falar sobre isto não resolve o problema e até pode aumentar a expectativa e a tensão”, explica.

 

Lamarques é o convidado especial da segunda Semana de Relacionamentos do Rituaali que, esse ano, tem como tema principal “Individualidade: o desafio da relação a dois”. O evento acontece no Rituaali Clínica & Spa de 20 a 27 de maio e contará com workshops e aconselhamento com o especialista.

 

1 – O brasileiro está com dificuldades de se relacionar e manter uma relação?

Não é apenas “o brasileiro” que está com dificuldade em manter o relacionamento matrimonial, o ser humano moderno (ou pós-moderno) está com mais dificuldades. Apenas culturas centradas em profundos valores éticos e morais, que “punem” ou penalizam os que a desobedecem, têm casamentos mais estáveis (mais duráveis, na verdade!). Não que isto seja melhor, apenas disciplina melhor a conduta social e ajuda o indivíduo a se policiar nos aspectos que têm mais dificuldades.

 

2 – Quais são as principais dificuldades que um casal enfrenta ao longo do casamento?

As maiores dificuldades nos casamentos têm sido a falta de conhecimento mútuo (embora pensem que se conhecem bem!); a dificuldade em “lidar” e respeitar as diferenças de cada um (individuais); e, a comunicação afetiva “deficiente”, inadequada ou inexistente.

 

3 – Essas dificuldades mudam com o passar dos anos? 

Sim, em alguns aspectos mudam, mas a realidade mesmo é que os casais novos têm uma dificuldade natural: sair do romance da conquista para o romance da valorização! Os mais maduros vão potencializando isto…

 

4 – Você acha que falta diálogo nas relações? Como podemos explicar esse movimento?

O diálogo é imprescindível! Contudo, se não se entende o que é ou como se dá o diálogo entre cônjuges, falar sobre isto não resolve o problema e até pode aumentar a expectativa e a tensão, consequentemente!

 

5 – Quais as principais queixas das pessoas que procuram o seu atendimento?

Os problemas mais comuns que me vêm ao conhecimento (inicialmente), são: dificuldade em lidar com as diferenças de personalidade; falta de afeto e de intimidade pessoal e sexual; e problemas financeiros.

 

6 – Para muitos casais, é difícil buscar ajuda de um profissional para retomar a relação. Em que momento eles precisam tomar a decisão de procurar essa ajuda? Há algum indício na relação que mostre isso?

Existe uma “cadeia” que leva as pessoas à crise no relacionamento, que é a separação. Mas a cadeia sempre começa na vontade de cada um: vontade “educada” e vontade viciada ou dependente das emoções.

 

7 – Qual o segredo para viver uma vida a dois plena e saudável?

Busca de orientação adequada (como o programa do Rituaali), em alguns casos com terapia de casal; procurar conhecer as reais necessidades do outro e buscar atender; sair do egoísmo e desenvolver o altruísmo – até quando o outro não valoriza o que o “generoso faz” é possível “ele mesmo” se sentir melhor! Como isto é anti natural no ser humano, cada um terá que buscar um poder maior que o seu próprio.

 

8 – Essas dicas também valem para relações familiares, entre pais e filhos, ou entre irmãos?

Com certeza! É das relações familiares precedentes que se tem o melhor ou o pior desempenho do adulto casado; quando os princípios do bom relacionamento são praticados em uma família, isto contribui para a saúde mental, psíquica e emocional de todos!

 

9 – Quais os principais problemas familiares – além de casais – você atende?

Cansaço emocional e psicológico por não ser “aceito/a”, e/ou por “não aceitar” o jeito de ser do outro; falta de valores e princípios morais e éticos (mesmo em pessoas religiosas, ligadas à fé) no relacionamento das pessoas.

 

10 – A criação dos filhos interfere na forma como essa criança após adulta vai se relacionar com o outro

O adulto que você é hoje reflete muito a educação infantil que você recebeu quando criança. Não é tudo, mas exerce grande influência.

 

11 – O que os hóspedes podem esperar da Semana de Relacionamentos?

Podem esperar grandes surpresas no autodescobrimento individual e do outro! Além disso, aqueles que já se acham “cansados” em seu relacionamento, poderão descobrir riquezas potenciais nas mesmas pessoas com que vivem há tanto tempo! E os que se acham muito felizes vão descobrir quanta coisa boa (melhores do que as que já desfrutam) pode ser obtida ou potencializada no relacionamento saudável.

 

Semana do Relacionamento do Rituaali: A individualidade como desafio da relação a dois

Conhecer melhor a si mesmo e ao outro e descobrir os segredos de uma vida a dois plena e saudável. Na Semana Especial do Relacionamento do Rituaali Clínica & Spa, você vai aprender a desenvolver estratégias práticas para prevenir dificuldades e superar desafios nas relações.

A semana terá a participação do especialista em relacionamentos e conselheiro matrimonial e familiar Edemar Lamarques, e contará com palestras e sessão de aconselhamento individual e/ou para o casal.

Nesse período, Rituaali oferece 40% de desconto para o segundo hóspede em acomodação dupla. Faça a sua reserva e viva uma vida a dois plena e saudável.

Últimas Notícias

Bem-Estar