Chega de insônia: dicas para te ajudar a pegar no sono

Não tem coisa mais incômoda (e literalmente cansativa) do que estar morrendo de sono e não conseguir dormir. Vira pra cá, torce pra lá e nada. Você deita na cama e a cabeça não para, haja carneirinho para contar. Ou, no meio da noite, os olhos se abrem, você levanta para beber água, volta a deitar e eis o teto cheio de assunto. E quando acorda mais cedo do que o costume e fica fritando sobre os lençóis até levantar? Bem-vindo ao universo dos insones.

A insônia é caracterizada por um sono não reparador.

Não importa quantas horas você dorme ou o horário que vai dormir (cada um tem uma necessidade), se no dia seguinte está novinho em folha, ótimo. Agora, se começa a manhã com aquela sensação de que um trator passou por cima, fica mal-humorado por qualquer coisa, não rende no trabalho, falta energia pra tudo, é melhor tomar providências. A começar por ajustes em seus hábitos alimentares e na rotina.

Tipos de insônia

Classificada como transiente (de curto-prazo), intermitente (ocasional) e crônica (quando dura mais de um mês), a insônia pode ser causada por dificuldades respiratórias (apneia, ronco), fibromialgia, menopausa, hipo e hipertireoidismo, insuficiência cardíaca, mal de Parkinson, ansiedade, bipolaridade, depressão, entre outras. E mais: situações de perdas afetivas e financeiras, mudanças de cidade, de casa ou profissionais também podem interferir no sono.

Como se não bastasse tudo isso, a modernidade trouxe um agravante: a conectividade. Em estudo realizado em 2012 com 2 mil brasileiros de 20 a 60 anos pelo Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (IPOM), 28% dos entrevistados declararam ter dificuldade de se desligar de televisão, celular e internet. Do total, 69% avaliaram o próprio sono como “ruim e insatisfatório” – três anos depois a pesquisa foi refeita entre os jovens e essa foi a resposta de 88% deles. Teremos no futuro gerações de insones?

Boa notícia: dormir bem é possível

São medidas simples, mas que requerem disciplina e comprometimento.

  • Estipule horários para deitar e levantar, quanto mais regrados, melhor para o seu relógio biológico.
  • Quando dormir pouco, evite compensar durante o dia e vá para cama mais cedo na noite seguinte.
  • Seu quarto é seu santuário, mantenha-o limpo, escuro e isento de ruídos.
  • Desligue a TV, o computador, o videogame, o smartphone (não diga que é impossível, a humanidade sobreviveu milênios sem ele, você também vai conseguir).
  • Relaxe antes do sono, leia um livro, ouça uma música calma.
  • Faça refeições leves à noite, evite café, bebidas alcoólicas, refrigerantes e chás.
  • Pratique exercícios (no mínimo 30 minutos por dia), eles liberam hormônios que ajudam no relaxamento e previnem a obesidade (causa de apneias e ronco).
  • Mantenha um diário: anote que horas acordou, algum evento estressante, um pensamento que anda lhe perturbando, se praticou esporte, o que comeu. Observe-se e identifique possíveis causas da insônia.
  • E muito importante: nunca se automedique. Se já tentou de tudo e nada surtiu efeito, procure ajuda especializada. Sono é saúde. Não descuide da sua.

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

Últimas Notícias

Saúde