Como Viver até os 100: Os Segredos das Blue Zones

Os segredos daa blue zones

Conteúdos

Se você pegar seu controle remoto agora, ligar sua TV e acessar a Netflix, pode descobrir os segredos para viver até os 100 anos.

“Uau!” — você pode expressar— “Como assim!?”

Bem, estamos falando de “Como Viver até os 100: Os Segredos das Zonas Azuis”. Trata-se de um cativante documentário protagonizado pelo autor best-seller Dan Buettner.

Buettner nos leva a uma viagem ao redor do mundo para explorar a ciência e os estilos de vida ligados à longevidade. Ele mergulha nas vidas de pessoas que desafiam o enigma da idade e descobre segredos surpreendentes que todos nós podemos adotar.

Buettner dedicou duas décadas de pesquisa identificando e estudando as chamadas “Zonas Azuis”, regiões onde as pessoas vivem mais tempo e com mais saúde do que em qualquer outro lugar do planeta:

unnamed 6
  • Nùoro, Sardenha: vilarejo montanhoso com a maior concentração de homens centenários no mundo;
  • Península de Nicoya, Costa Rica: uma das menores taxas de mortalidade na meia idade;
  • Vila de Lomo Linda, Estados Unidos: Adventistas do Sétimo Dia que vivem 10 anos a mais que os outros americanos;
  • Icária, Ilha Grega: uma das taxas mais baixas de mortalidade na meia idade;
  • Okinawa, Japão: um dos locais em que as mulheres mais vivem no mundo.  

Em um primeiro momento, a impressão é que os os povos das blue zones ganharam na “loteria genética”. Parece que são uns sortudos e que receberam um presente dos céus que os permite viver até os 100 anos.

Ao assistirmos o documentário, constatamos que não é esse o caso. Buettner mostra que existe uma fórmula…

Eu argumentaria que 20% disso são genes, 10% são escolhas pessoais, 10% é o sistema de saúde e os 60% restantes são o ambiente.

Com base nisso, percebemos que o que torna essas populações mais longevas não é nada revolucionário. É mais uma acumulação de pequenos hábitos diários, um ambiente de vida de apoio e políticas sociais e atitudes que reforçam o valor, a dignidade e a saúde de cada pessoa.

E essa filosofia se encontra com o que praticamos aqui no Rituaali.

Como defendemos aqui, por mais que pareça complexo conquistar uma saúde plena, há soluções práticas que podem ser inseridas imediatamente no seu dia a dia.

Como disse o sábio Confúcio, “Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha.”

8 segredos dos moradores das Blue Zones revelados 

Agora vamos compartilhar com você os hábitos saudáveis dessas comunidades que podem transformar a sua vida. A ideia é que você “copie e cole”, ou seja, que aplique-os na sua rotina, a fim de obter melhores resultados em saúde e bem-estar:

1) Xô, estresse!  

Por ter um estilo de vida bem menos corrido e agitado que os das grandes cidades, os moradores das Blue Zones conseguem diminuir a taxa de cortisol (hormônio do estresse) por meio de hábitos diários, como tirar um cochilo todos os dias e reservar um dia da semana para se dedicarem ao convívio social ou atividades religiosas.  

2) Alimentação natural  

Mais de 90% do cardápio dos moradores das Blue Zones é composto por frutas, vegetais, cereais, legumes, oleaginosas e sementes. O consumo de carne é restrito nessas regiões.

3) Cada um com seu propósito 

Outro ponto em comum entre os habitantes das comunidades é que cada um possui um propósito de vida, algo que faz com que eles se levantem todas as manhãs.  

4) Espiritualidade em foco 

Alguns estudos defendem que a fé contribui para que as pessoas tenham mais saúde e, nas regiões das Blue Zones, isso é levado a sério. Grande parte dos moradores praticam algum tipo de religião e exercitam a sua espiritualidade diariamente.  

5) Alimentação sem excessos  

Sentir-se cheio após uma refeição certamente não é um hábito desses moradores. Eles praticam o hábito de não ultrapassar o limite, se alimentando apenas do que é necessário para alcançar a saciedade. Para eles, a refeição deve causar satisfação e não estufamento.  

6) Muito movimento 

Nas Blue Zones, para chegar ao equilíbrio é preciso manter-se em movimento. Além de exercícios moderados, os habitantes procuram sempre se movimentar ao longo do dia, seja caminhando ou andando de bicicleta.  

7) Pertencem a grupos com hábitos saudáveis 

Algumas pesquisas ao redor do mundo defendem que quando fazemos parte de grupos de pessoas com interesse em hábitos saudáveis, todos passam a se motivar a comer bem, a não fumar e a praticar exercícios.  

8) Convívio social  

Para os habitantes das Blue Zones, família e boa convivência são pilares muito importantes. Não à toa, eles reservam dias durante a semana para se dedicar exclusivamente ao senso de comunidade.  

Natureza x qualidade de vida: qual a relação? 

Há outro ponto em comum das Blue Zones, além dos citados acima: todas as regiões estão rodeadas pela natureza.

A presença do verde não é apenas uma curiosidade ou coincidência. As pessoas que mantém uma conexão maior com o meio ambiente conseguem maiores benefícios para a saúde. 

Nas cidades grandes, onde não é possível estar em uma floresta o tempo todo, se conectar por 15 minutos com o natural, seja em um parque, bosque ou praia já é suficiente para o corpo.

Outras opções para manter o verde mais próximo no dia a dia é colocar uma planta na mesa de trabalho, explorar o bairro à pé ou de bicicleta, deixar a casa mais verde com espécies de vegetais e procurar por parques e bosques ao longo da semana.  

Compartilhe esse post:

WhatsApp
Facebook
Email

Estamos felizes em anunciar que o Rituaali é um dos indicados ao prêmio de melhor spa do Brasil pelo World Spa Awards!

Esta é uma oportunidade incrível para sermos reconhecidos mundialmente,
e não podemos fazer isso sem você.
🏆 Melhor spa do Brasil

Procurando por conteúdos de saúde, simples e práticos?

Receba conteúdos relevantes, descomplicados e objetivos sobre qualidade de vida e longevidade.

Talvez você também goste disso:

Assine agora 🍃

Receba conteúdos relevantes, descomplicados e objetivos sobre qualidade de vida e longevidade.

Não fique com dúvida. Pergunte e nós respondemos.

Envie sua dúvida

Envie suas perguntas abaixo (anonimamente) e nosso especialista poderá respondê-las em uma próxima edição de nossa newsletter.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.